May 3, 2015 / 2:08 PM / 3 years ago

Líder da extrema-direita francesa não quer que pai fale em nome do partido

PARIS (Reuters) - Marine Le Pen disse neste domingo que não quer que seu pai fale mais em nome da Frente Nacional fundada por ele e liderada por ela, um dia antes de possivelmente ele ser punido por seus comentários recentes sobre a Segunda Guerra Mundial.

Jean-Marie Le Pen deverá enfrentar uma audiência disciplinar na segunda-feira em seu partido por ter repetido sua visão de que câmaras de gás nazistas eram um mero “detalhe” da guerra e por ter defendido Philippe Pétain, líder do governo francês que colaborou com a Alemanha nazista.

    Quando questionada sobre qual punição deveria ser dada a uma pessoa de 86 anos, sua filha disse à imprensa francesa que a decisão é do escritório executivo da legenda.

Ela também acusou seu pai de agir com malícia contra ela e contra o seu partido.

    “Eu tenho a sensação de que ele não pode suportar o fato de que a Frente Nacional continua a existir sem ele no comando”, disse Marine Le Pen a jornalistas. “Eu lamento isso”.

Reportagem de Gregory Blachier e James Regan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below