May 12, 2015 / 11:30 PM / 3 years ago

Trégua no Iêmen começa após bombardeios; Irã envia navio cargueiro

Por Mohammed Ghobari e Mohammed Mukhashaf

Várias pessoas viajam no teto de um veículo ao deixarem suas casas numa região em que uma base militar foi atingida por ataques aéreos, em Sanaa, no Iêmen, nesta terça-feira. 12/05/2015 REUTERS/Khaled Abdullah

CAIRO/ÁDEN (Reuters) - Ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita atingiram a capital iemenita, Sanaa, controlada por rebeldes, horas antes de uma trégua humanitária de cinco dias entrar em vigor nesta terça-feira, e os Estados Unidos alertaram contra “ações provocadoras” após o Irã ter despachado um navio de carga para o Iêmen.

O cessar-fogo começou às 23h (17h em Brasília), disse o brigadeiro-geral Ahmed Asseri, porta-voz de uma coalizão liderada pelos sauditas que tem atacado rebeldes houthis no Iêmen desde 26 de março.

A intenção da trégua é permitir o envio de alimentos e remédios para o país, o qual, segundo grupos de ajuda, enfrenta uma catástrofe humanitária após mais de sete semanas de guerra.

Apesar da trégua iminente, os houthis bombardearam áreas na província de Jizan, na fronteira saudita, até os últimos momentos antes de o cessar-fogo começar, disse Asseri à televisão al-Arabiya, acrescentando que isso não dava confiança de que o grupo rebelde tinha a intenção de manter a trégua.

Com a aproximação do cessar-fogo, testemunhas disseram que a coalizão bombardeou posições houthis na cidade portuária de Áden, sul do Iêmen, onde grupos locais armados ainda combatem os rebeldes. 

Os Estados Unidos disseram estar rastreando navios de guerra iranianos que acompanhavam um navio cargueiro com destino ao porto de Hodaida e pediram para que o Irã utilizasse um centro de distribuição da Organização das Nações Unidas (ONU) no Djibouti para fornecer ajuda às pessoas no país da península arábica.

“Nós desencorajamos quaisquer ações provocativas”, disse o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Jeff Rathke.

O Irã é um aliado do movimento houthi, facção política mais poderosa do Iêmen, acusada pela coalizão de dar o golpe no governo legítimo do país.

Reportagem adicional de Sam Wilkin, em Dubai; de Angus McDowall, em Riad; de Mostafa Hashem, no Cairo; e de Stephanie Nebehay e Tom Miles, em Genebra

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below