May 19, 2015 / 10:34 AM / 3 years ago

Junta tailandesa adia eleições e provoca questionamentos sobre volta à democracia

Por Aukkarapon Niyomyat

BANGCOC (Reuters) - Uma junta tailandesa adiou nesta terça-feira as eleições gerais por pelo menos seis meses, horas após a ex-premiê Yingluck Shinawatra ser proibida de viajar para o exterior, levantando dúvidas sobre a prometida volta à democracia.

O vice-premiê, Wissanu Krea-ngam, instaurado após os militares tomarem poder em maio do ano passado, disse a repórteres que as eleições vão acontecer no mínimo em agosto de 2016 para permitir um referendo sobre uma nova Constituição.

“Acontecerá por agosto ou em setembro”, disse. O governo havia informado antes que a votação aconteceria em fevereiro de 2016.

Após tomar poder, a junta ficou sob pressão interna e internacional para realizar eleições, as quais dizem que só pode acontecer sob uma nova Constituição.

Autoridades designadas pela junta para esboçar a Constituição recomendaram que um referendo seja feito para tornar pública a voz final do projeto para restauração do regime democrático.

Críticos dizem que a ideia tem como objetivo excluir a poderosa família Shinawatra da política.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below