27 de Novembro de 2015 / às 00:45 / 2 anos atrás

Desmatamento da Amazônia avança 16% em 2015

SÃO PAULO (Reuters) - A destruição da floresta amazônica aumentou 16 por cento em 2015 na comparação com o ano anterior, enquanto o governo se esforça para fazer cumprir a legislação e impedir desmatamentos ilegais no país.

Vista aérea de uma região desmatada da floresta amazônica para plantação de soja no Mato Grosso, em outubro. 02/10/2015 REUTERS/Paulo Whitaker

Os dados de satélite registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para os 12 meses até o fim de julho deste ano mostraram que 5.831 quilômetros quadrados de florestas foram desmatados na Amazônia.

Os números divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério do Meio Ambiente confirmam informações preliminares de instituições ambientais que revelaram um aumento do desmatamento após uma queda registrada em 2014.

O avanço ocorre em um momento sensível para o governo brasileiro. Países do mundo inteiro se reúnem em Paris, na França, a partir da semana que vem para discutir um novo acordo climático global com o objetivo de reduzir as emissões de gases do efeito estufa.

O desmatamento responde por cerca de 15 por cento desses gases no mundo, mais do que todo o setor de transportes.

A forte alta verificada no Mato Grosso, grande pecuarista e produtor de grãos, foi o principal fator por trás do aumento na destruição da Amazônia. Proprietários de terras no Estado desmataram cerca de 1.500 quilômetros quadrados neste ano, em comparação a cerca de 1.000 quilômetros quadrados em 2014.

“Foi uma surpresa, particularmente o aumento no Mato Grosso”, disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a jornalistas em Brasília.

Segundo a ministra, a pressão para aumentar a exploração madeireira está novamente forte e vindo da agricultura e pecuária. Amazonas e Rondônia também integram a lista dos Estados que mais desmataram.

Apesar do salto deste ano, a área desmatada ainda é muito menor do que no passado, já que o país conseguiu reduzir drasticamente a destruição da Amazônia desde que começou a monitorar o desmatamento em 2004, quando quase 30.000 quilômetros quadrados de floresta foram perdidos.

Reportagem de Marcelo Teixeira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below