3 de Dezembro de 2015 / às 13:57 / 2 anos atrás

Cunha diz que Dilma mentiu à nação e que "barganha" partiu do governo

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta quinta-feira que a presidente Dilma Rousseff mentiu à nação ao dizer que não aceitaria barganha para tentar evitar deflagração de um processo de impeachment contra ela.

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, deixa a residência oficial em Brasília. 03/12/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino

Segundo Cunha, o deputado André Moura (PSC-SE) participou de reunião com Dilma na quarta-feira de manhã em que o governo quis vincular apoio de deputados do PT a Cunha em processo no Conselho de Ética da Câmara à aprovação da CPMF no Congresso.

“Quero deixar bem claro que ontem (quarta-feira) a presidente mentiu à nação quando fez o seu pronunciamento. Ela mentiu quando disse que seu governo, e ela, não autorizavam qualquer barganha”, afirmou Cunha em entrevista coletiva na Câmara.

“A barganha veio sim proposta pelo governo, e eu me recusei a aceitar”, declarou.

O presidente da Câmara acatou na quarta-feira pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma elaborado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, com apoio da oposição.

Em resposta, a presidente manifestou “indignação” em declaração à imprensa e disse que jamais aceitaria qualquer tipo de barganha, em referência a relatos de que Cunha estaria negociando o voto favorável de três deputados do PT no Conselho de Ética em troca de segurar o pedido de impedimento.

A decisão de Cunha foi anunciada no dia em que os representantes do PT no Conselho de Ética anunciaram que votarão pela continuidade do processo que pede a cassação do mandato do presidente da Casa, que é acusado de mentir à CPI da Petrobras por afirmar que não tinha conta bancária no exterior.

Cunha afirmou ainda, nesta quinta-feira, que chamará uma reunião extraordinária para dia 7, às 18h, para eleição da comissão especial que vai analisar a denúncia contra Dilma e receber a defesa da presidente. Essa comissão, que ainda não foi formada, terá 66 deputados titulares e mesmo número de suplentes, todos indicados pelos líderes partidários.

Reportagem de Leonardo Goy

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below