December 9, 2015 / 9:31 PM / 2 years ago

PMDB acusa auxiliares de Dilma de tentarem constranger Temer e taxá-lo de golpista

SÃO PAULO (Reuters) - O PMDB acusou nesta quarta-feira auxiliares da presidente Dilma Rousseff de tentarem constranger o presidente do partido, o vice-presidente da República Michel Temer, e de buscar difundir interpretações de que ele agiria como um golpista.

Em nota divulgada nos perfis do partido nas redes sociais, o PMDB também acusa o Palácio do Planalto de vazar a carta enviada nesta semana por Temer a Dilma, na qual o vice aponta a falta de confiança da presidente nele e no PMDB, e de tentar dar a carta um objetivo político inexistente.

“O objetivo dos auxiliares de Dilma Rousseff foi criar constrangimentos ao nosso presidente e estimular a interpretação de que Temer estava rompendo com o governo e de forma golpista. Não é verdade. O PMDB não tem o golpe em seu DNA”, segundo a nota.

O documento peemedebista afirma, ainda, que o tema do impeachment foi colocado na agenda do país por Dilma, “que invariavelmente ocupa-se deste assunto em pronunciamentos públicos há vários meses”.

A nota também vai contra o discurso de governistas de que o impeachment seria um golpe.

“Impeachment não é golpe, está previsto na Constituição do Brasil e de várias outras democracias do mundo. Além do mais, nossas instituições estão funcionando normalmente, de forma transparente e democrática”, disse o PMDB no comunicado, acrescentando que Temer atenderá convite de Dilma e se reunirá com a presidente ainda nesta quarta-feira.

Reportagem de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below