10 de Dezembro de 2015 / às 14:01 / 2 anos atrás

Meta de cúpula do clima em Paris para limitar aquecimento melhora em meio grau

PARIS (Reuters) - Parecia impensável apenas poucos meses atrás, mas um novo acordo global para combater as mudanças climáticas pode colocar o mundo em um objetivo muito mais ambicioso do que o esperado, mesmo que alcançá-lo esteja fora do alcance no momento.

Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, durante discurso em conferência sobre clima na França. 09/12/2015 REUTERS/Stephane Mahe

Com o inesperado apoio dos Estados Unidos e da Europa, o acordo, que deve ser concluído em alguns dias, pode ir além da meta atual de limitar o aumento da temperatura global em 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais.

Em vez disso, de acordo com o rascunho mais recente e negociadores, o acordo pode colocar a meta em limitar o aumento em “bem abaixo” de 2 graus Celsius, e reconhecer a necessidade de ter como alvo no máximo 1,5 grau.

Mesmo que os cortes na emissão de gases causadores do efeito estufa prometidos em Paris não cheguem perto de limitar o crescimento em 2 graus, um reconhecimento explícito do quanto é necessário poderia colocar o mundo a caminho de ações mais decisivas no futuro.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou na quarta-feira que os Estados Unidos iriam se juntar a cerca de 100 países em uma “aliança de alta ambição” com objetivo de ir além dos 2 graus, nível que países-ilhas como as Ilhas Marshall dizem que pode não ser o suficiente para impedir uma submersão no final do século.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below