13 de Dezembro de 2015 / às 15:11 / em 2 anos

Equador e Suécia assinam acordo para interrogatório de Assange

QUITO (Reuters) - Equador e Suécia assinaram um acordo que permite que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, seja interrogado na embaixada do Equador em Londres, onde tem estado por mais de três anos, declarou o governo equatoriano.

O acordo legal foi assinado na capital do Equador após seis meses de negociações.

“É, sem dúvida, um instrumento que fortalece as relações bilaterais e facilitará, por exemplo, o cumprimento de questões judiciais como o interrogatório do sr. Assange”, disse o ministro das Relações Exteriores em um comunicado neste fim de semana.

Julian Assange, 44 anos, refugiou-se no edifício da embaixada do Equador em junho de 2012 para evitar a extradição para a Suécia, onde é procurado para interrogatório sob acusações de agressão sexual e estupro de duas mulheres em 2010. O australiano nega as acusações.

Assange diz que teme ser extraditado para os Estados Unidos pela Suécia, onde corre o risco de ser julgado pela publicação há cinco anos de documentos militares e diplomáticos confidenciais no WikiLeaks, um dos maiores vazamentos de informações da história dos EUA.

A Grã-Bretanha tem acusado o Equador de impedir o curso da justiça ao permitir que Assange permaneça em sua embaixada em Knightsbridge, na sofisticada área central de Londres.

(Por Alexandra Valencia e Andrew Cawthorne; Edição de Mark Potter) 

((Tradução Redação Brasília, 5561 3426 7022))

REUTERS MCM

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below