25 de Dezembro de 2015 / às 14:36 / 2 anos atrás

Potências devem impedir entrada de combatentes por Turquia e Jordânia, diz ministro sírio

BEIRUTE (Reuters) - O ministro do Exterior da Síria, Walid al-Moualem, disse nesta sexta-feira que os esforços internacionais para terminar com o conflito no país devem ter como foco evitar que insurgentes venham da Turquia e da Jordânia.

A mídia estatal síria, que relatou os comentários que Moualem fez durante uma visita a Pequim, citou o ministro enfatizando a necessidade de se “implementar as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o combate ao terror”.

O governo sírio do presidente Bashar al-Assad acusa a Turquia de armar rebeldes islâmicos e permitir que extremistas estrangeiros entrem na Síria. Ele diz que que a Jordânia, aliada dos Estados Unidos, arma e treina insurgentes no sul da Síria. As alegações são negadas de forma veemente por esses países.

Na semana passada, o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade uma resolução que endossa uma estratégia internacional para um processo de paz na Síria, numa rara demonstração de unidade sobre o conflito que já resultou em mais de 250 mil mortes. As Nações Unidas planejam realizar negociações em Genebra no fim de janeiro. 

Moualem disse na quinta-feira que a Síria estava pronta para participar das negociações de Genebra e que esperava que o diálogo ajudasse na formação de um governo de unidade nacional.

Por Suleiman Al-Khalidi

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below