14 de Novembro de 2016 / às 09:37 / em um ano

Premiê da Itália sugere que pode deixar cargo caso referendo não seja aprovado

Primeiro-ministro da Itália, Mateo Renzi, durante entrevista coletiva em Roma. 22/03/2016 REUTERS/Stefano Rellandini/File Photo

ROMA (Reuters) - O primeiro-ministro da Itália, Mateo Renzi, sugeriu nesta segunda-feira que pode não continuar no cargo caso um referendo sobre reforma constitucional defendido por ele não seja aprovado.

Questionado em entrevista a uma rádio o que faria caso o “não” vença no referendo de 4 de dezembro, ele disse: “se eu tiver que ficar no Parlamento e fazer o que todos fizeram antes de mim, ou seja, me arrastar e apenas flutuar lá, isto não me serve”.

Pesquisas de opinião sugerem que o premiê de 41 anos pode perder o referendo, o qual, no caso de vitória do “sim”, irá reduzir o papel do Senado e cortar poderes de governos regionais.

Em outros momento, o premiê disse que renunciaria em caso de derrota. Mais recentemente, ele se negou a confirmar isso categoricamente, dizendo que conversas sobre seu futuro desviam atenção dos méritos da reforma.

Reportagem de Philip Pullella

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below