16 de Dezembro de 2016 / às 20:17 / 10 meses atrás

Lateral Ruschel é 1º brasileiro a receber alta após acidente com voo da Chapecoense

SÃO PAULO (Reuters) - O lateral Alan Ruschel recebeu alta nesta sexta-feira, sendo o primeiro entre os quatro brasileiros sobreviventes do acidente com o avião da Chapecoense a deixar o hospital, enquanto o goleiro Alan Follmann deve ser transferido de São Paulo para Chapecó no sábado, após ter sido submetido a cirurgia.

Alan Ruschel chega a Chapecó após acidente aéreo na Colômbia. 13/12/2016. REUTERS/Diego Vara

Ruschel recebeu alta nesta tarde e segundo o Hospital Unimed Chapecó estava “feliz e comunicativo nas últimas horas”.

Em sua página no Facebook, o hospital divulgou fotos de Ruschel com o jornalista Rafael Henzel e o zagueiro Neto, os outros dois sobreviventes brasileiros do acidente com o avião da LaMia que matou 71 pessoas na Colômbia, no final de novembro, internados na cidade catarinense.

Henzel deu entrada no hospital de Chapecó junto com Ruschel, no final da terça-feira. Já Neto chegou à cidade catarinense na noite de quinta-feira, sob gritos de “o campeão voltou”, depois de ser transferido da cidade colombiana de Medellín.

O acidente aéreo ocorreu enquanto o time da Chapecoense viajava à Colômbia para a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. O avião caiu perto do aeroporto de Medellín após aparentemente ficar sem combustível, gerando comoção na comunidade do futebol. Além dos quatro brasileiros, dois tripulantes bolivianos também sobreviveram.

O goleiro Follmann tem transferência para o hospital de Chapecó programada para sábado. Segundo boletim médico do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, exames demonstram “ausência de infecção ativa” após cirurgia realizada na terça-feira para correção de luxação de vértebras cervicais.

“A tomografia computadorizada da coluna cervical realizada no dia de hoje demonstra o bom posicionamento da fixação da vértebra C2, além de alterações consideradas normais no pós-operatório”, informou o hospital.

Follmann teve parte da perna direita amputada na Colômbia. O lateral Ruschel teve fraturas em vértebras torácica e lombar, enquanto Henzel e Neto tiveram problemas no pulmão, entre outras complicações devido ao acidente aéreo.

Em Brasília, o governo brasileiro concedeu as ordens do mérito da defesa e do Rio Branco a 12 colombianos que ajudaram no resgate e no apoio a familiares da delegação da Chapecoense, entre eles Johan Alexis Ramírez Castro, garoto de 15 anos que guiou as equipes de busca até o local do acidente, e o prefeito de Medellín, Federico Gutiérrez Zuluaga. O único brasileiro agraciado foi o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon.

“As palavras nunca bastarão para agradecer à Colômbia e aos colombianos a inesquecível lição de humanidade que nos deram, e continuam a dar”, disse o presidente Michel Temer.

(Por Tatiana Ramil; com reportagem adicional de Lisandra Paraguassu, em Brasília; edição de Raquel Stenzel)

tatiana.ramil@thomsonreuters.com; 5511 56447765; Reuters Messaging: tatiana.ramil.thomsonreuters.com@reuters.net

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below