24 de Janeiro de 2017 / às 15:03 / em 9 meses

Gravador de áudio de avião que levava Teori não indica anormalidade em aeronave, diz FAB

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma análise preliminar dos dados recuperados do gravador de áudio do avião que caiu no mar de Paraty matando o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki aponta que não houve anormalidade nos sistemas da aeronave antes do acidente da semana passada, afirmou nesta terça-feira o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Equipes de resgate atuam após queda de avião onde estava ministro do STF. 20/01/2017. REUTERS/Bruno Kelly

“O chip de memória do gravador de voz da cabine do avião está sendo avaliado por uma equipe do laboratório de leitura e análise de dados de gravadores de voo (Labdata) do Cenipa. Em uma análise preliminar, os dados extraídos não apontam qualquer anormalidade nos sistemas da aeronave”, disse a Força Aérea Brasileira (FAB) em comunicado.

De acordo com o coronel Marcelo Moreno, chefe da divisão de operações do Cenipa, o equipamento conhecido como caixa-preta gravou os últimos 30 minutos de áudio do voo, incluindo sons importantes para a investigação do acidente além das vozes.

“Nós analisamos sons diferentes, em que possamos identificar, hipoteticamente falando, o ruído de um trem de pouso sendo baixado, a aplicação de algum grau de flap ou outro equipamento aerodinâmico da aeronave”, afirmou o coronel no comunicado.

O gravador de áudio foi encontrado por mergulhadores da Marinha na tarde de sexta-feira, um dia após a queda do avião PR-SOM que levava o ministro do STF Teori Zavascki e mais quatro pessoas. O Cenipa conseguiu extrair com sucesso os dados da caixa-preta apesar de o aparelho ter sido danificado pela água salgada do mar.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo desta terça-feira, os registros de áudio da cabine do avião teriam captado conversas do piloto da aeronave com outros pilotos que voavam pela região, nas quais ele disse que esperaria a chuva diminuir antes de pousar. Pouco depois a gravação teria sido interrompida, de acordo com análises preliminares.

Segundo o jornal, o áudio não explica exatamente o que aconteceu, e a investigação depende também de outros fatores para esclarecer o motivo da queda.

Além da recuperação da caixa-preta, uma empresa contratada pelo Grupo Emiliano, proprietário do avião, já retirou os destroços da aeronave do mar de Paraty. O material seria levado ao Rio de Janeiro para ser periciado e analisado na base aérea do Galeão.

Na segunda-feira a Justiça Federal do Rio de Janeiro informou que foi decretado sigilo nas investigações sobre a queda do avião. [nL1N1FD1YF]

Havia expectativa de que em fevereiro Teori, relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, decidisse sobre a homologação dos acordos de delação premiada com 77 executivos da Odebrecht, com potencial de impactar o meio político.

Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below