17 de Fevereiro de 2017 / às 19:11 / em 10 meses

Dólar sobe e volta a encostar em R$3,10, mas tem 9ª semana seguida de queda acumulada

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta sexta-feira, pelo segundo pregão seguido e que o levou a encostar no patamar de 3,10 reais, novamente com movimento de correção após as quedas durante a semana atraírem compradores.

Pacote de notas de cinco dólares dos Estados Unidos passam por inspeção em Washington, nos Estados Unidos 26/03/2015 REUTERS/Gary Cameron/File Photo

Mesmo assim, a moeda norte-americana encerrou sua nona semana consecutiva com queda acumulada, com profissionais afirmando que a trajetória continuava de baixa diante da perspectiva de fluxo positivo ao país.

O dólar avançou 0,28 por cento, a 3,0928 reais na venda, depois de ter subido 0,56 por cento no pregão passado, em movimento de correção após ter batido a mínima intradia na casa de 3,03 reais.

Na semana, acumulou recuo de 0,53 por cento e, em nove semanas consecutivas de baixa, a perda foi de 8,78 por cento.

Neste pregão, o dólar chegou a 3,1096 reais na máxima e a 3,0775 reais na mínima. O dólar futuro operava com alta de cerca de 0,10 por cento no final da tarde.

“Houve apenas um ajuste de posição com a cautela vista hoje no exterior”, comentou um operador sênior de uma corretora.

Lá fora, o dólar passava por correção neste pregão, às vésperas do feriado nos Estados Unidos (Dia do Presidente) na segunda-feira. A moeda norte-americana avançava ante uma cesta de moedas e divisas de países emergentes, como o peso chileno.

“E o feriado nos Estados Unidos na segunda-feira acabou levando muitos investidores a adiantarem ajustes nesta sessão”, disse o operador da Advanced Corretora, Alessandro Faganello.

A tendência de baixa do dólar no mercado brasileiro vem sendo sustentada principalmente pela expectativa de ingresso de recursos internacionais, sobretudo diante das recentes captações feitas por empresas no exterior. O mercado também estava otimista com a perspectiva de aprovação de reformas no Congresso Nacional, como a Previdência, necessária à recuperação das contas públicas.

O Banco Central realizou nesta sessão seu quarto leilão de até 6 mil swaps tradicionais --equivalentes à venda futura de dólares--, para rolagem dos vencimentos de março e que somam quase 7 bilhões de dólares. Com esta oferta, o BC continuou indicando que fará apenas rolagem parcial, faltando ainda 5,754 bilhões de dólares do total.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below