10 de Maio de 2017 / às 13:06 / 7 meses atrás

Trump defende demissão de diretor do FBI e promete substituto "muito melhor"

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu nesta quarta-feira a surpreendente decisão de demitir o diretor do FBI, rebatendo críticas da oposição democrata e prometendo substituir James Comey por alguém “muito melhor”.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em evento na Casa Branca, em Washington. 02/05/2017 REUTERS/Joshua Roberts

“Comey perdeu a confiança de praticamente todos em Washington, tanto dos republicanos como dos democratas. Quando as coisas se acalmarem eles vão me agradecer”, disse Trump em uma série de mensagens no Twitter um dia após demitir Comey.

O FBI foi pego de surpresa com a demissão de Comey, e funcionários da agência marcaram uma reunião de emergência de alto escalão para a noite de terça-feira em meio à especulação sobre quem irá substituí-lo no cargo.

Um funcionário do FBI, que não tinha autorização para falar com os repórteres e por isso pediu para não se identificado, disse que a reunião iria explorar novas medidas para a Polícia Federal norte-americana.

Trump demitiu Comey em meio a uma investigação sobre um possível conluio entre sua campanha presidencial de 2016 e a Rússia para influenciar o resultado da eleição, provocando a reação de alguns democratas do Congresso, segundo os quais a decisão passou a impressão de um acobertamento, e de alguns republicanos, que classificaram o momento da demissão como perturbador.

O funcionário disse que o FBI não fazia ideia de que o governo Trump estava cogitando dispensar Comey e que a notícia “pegou até funcionários de alto escalão de surpresa”.

Um porta-voz da agência não respondeu a pedidos de comentário.

O vice-diretor Andrew McCabe deve assumir como interino, mas não deve ser indicado por Trump para assumir a função, disseram dois ex-empregados do FBI.

Comey, que foi indicado pelo ex-presidente democrata Barack Obama, ainda tinha seis anos e meio para cumprir como diretor de uma agência com 56 escritórios regionais e mais de 30 mil funcionários.

O novo diretor deve ser indicado por Trump e precisa ser confirmado pelo Senado dos EUA.

Comey é o terceiro funcionário altamente graduado das forças da lei a ser demitido por Trump. Preet Bharara foi dispensado do cargo de Procurador do Distrito Sul de Nova York, e Sally Yates foi despedida quando atuava como procuradora-geral interina.

Um possível concorrente à diretoria do FBI é Dana Boente, número três do Departamento de Justiça e ex-procurador-geral interino, disseram os dois ex-empregados do FBI.

Entre os outros nomes em potencial está o do deputado republicano Trey Gowdy, ex-procurador que conduziu um inquérito congressional sobre o papel da ex-secretária de Estado e presidenciável democrata Hillary Clinton no ataque ao consulado dos EUA em Benghazi, na Líbia, em 2012.

Entre os aliados de campanha próximos de Trump estão o ex-prefeito nova-iorquino Rudy Giuliani e o xerife do condado de Milwaukee, no Wisconsin, David Clarke – mas ambos seriam vistos como politizados demais para uma agência concebida para ser independente.

“A Casa Branca tem que evitar todos os políticos se quiser aprovar um indicado no Senado”, disse um dos ex-funcionários do FBI.

Boente foi encarregado de liderar temporariamente a investigação do Departamento de Justiça sobre os supostos laços Trump-Rússia depois que o secretário de Justiça, Jeff Sessions, um indicado de Trump, se afastou devido a seus contatos com o embaixador russo, Sergei Kislyak.

Reportagem adicional de Susan Heavey e David Alexander

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below