23 de Maio de 2017 / às 00:52 / em 5 meses

PGR pede que STF decrete prisão de Aécio e Rocha Loures

SÃO PAULO (Reuters) - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira que o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decrete a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do deputado Rocha Loures (PMDB-PR), que são alvos do mesmo inquérito que investiga o presidente Michel Temer por suspeita de corrupção, obstrução de Justiça e organização criminosa.

O pedido de Janot foi feito em agravo regimental como um recurso à decisão do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, de rejeitar monocraticamente o pedido de prisão preventiva feito pela Procuradoria-Geral da República contra Aécio e Rocha Loures na semana passada.

Janot pede que Fachin reconsidere sua decisão. Se o ministro mantiver o atendimento, o procurador-geral pede que o caso seja levado ao plenário do Supremo, de acordo com nota da Procuradoria-Geral da República.

Aécio foi gravado em conversa com o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, em que teria pedido 2 milhões de reais em propina. O senador argumenta que foi um pedido de empréstimo.

Loures, que já foi assessor de Temer, foi filmado carregando uma mala com dinheiro entregue por um diretor da J&F, a holding que controla a JBS. O parlamentar disse que esclarecerá os fatos.

Em nota, a defesa de Aécio disse que aguarda intimação para apresentar suas contra-razões, quando “demonstrará a impropriedade e descabimento do pedido”.

Por Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below