30 de Maio de 2017 / às 15:27 / 5 meses atrás

Diretor de comunicações de Trump irá deixar a Casa Branca em meio a crise

WASHINGTON (Reuters) - Um dos principais assessores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está deixando o cargo, informou a Casa Branca nesta terça-feira, no momento em que o presidente cogita mudanças mais abrangentes na equipe devido às repercussões negativas cada vez maiores das investigações a respeito da Rússia e de sua campanha presidencial.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante cúpula da Otan em Bruxelas, Bélgica. 25/05/2017 REUTERS/Christian Hartmann

O diretor de comunicações da Casa Branca, Mike Dubke, confirmou os relatos de que renunciou, dizendo em um comunicado: “Foi uma grande honra para mim servir o presidente Trump e este governo”. Dubke, que estava no cargo há três meses, não deu nenhum motivo para sua saída.

Trump, que voltou a Washington no sábado depois de uma viagem de nove dias pelo Oriente Médio e a Europa, deve reformular sua equipe para lidar com a tempestade desencadeada pelos inquéritos sobre a suposta interferência russa na eleição presidencial de 2016 e a comunicação entre Moscou e a campanha de Trump.       

Ele pretende levar novos assessores à Casa Branca, acrescentando profissionais experientes da política, entre eles um ex-gerente de campanha, de acordo com funcionários do governo e pessoas próximas de Trump.

O líder republicano também tem expressado com frequência sua frustração com os vazamentos internos do governo. “É minha opinião que muitos dos vazamentos saindo da Casa Branca são mentiras fabricadas pela #mídia NotíciasFalsas”, escreveu Trump em uma série de tuítes no domingo.

Dubke renunciou em 18 de maio, embora não tenha decidido seu último dia no emprego, de acordo com a Axios News, o primeiro veículo a noticiar sua saída, citando uma autoridade de alto escalão. Dubke disse ao site Politico nesta terça-feira que pretende voltar ao Black Rock Group, sua empresa de comunicações e assuntos públicos.

Dubke, que foi para a Casa Branca em março como chefe do escritório que controla a imprensa e outros temas de relações públicas, quis permanecer até o final da primeira turnê exterior de Trump para garantir uma transição suave, disse Kellyanne Conway, uma das principais conselheiras da Casa Branca, à rede Fox News.

Outras alterações em potencial na equipe podem estar em andamento, segundo a Axios, incluindo menos coletivas de imprensa de Sean Spicer, o secretário de imprensa da Casa Branca, diante das câmeras.

Trump também irá responder mais perguntas da mídia diretamente, relatou a Axios. Kellyanne disse que a Casa Branca irá continuar a levar ministros de governo e outras autoridades de primeiro escalão para fazerem coletivas a respeito de temas de sua alçada.

Kellyanne ainda refutou as especulações persistentes segundo as quais Spicer, que vem sendo satirizado em programas humorísticos da TV desde que Trump tomou posse, em 20 de janeiro, esteja deixando a função. Ela afirmou que ele irá voltar à sala de imprensa para conversar com os repórteres nesta terça-feira.

A polêmica sobre a Rússia se aprofundou depois que Trump demitiu o então diretor do FBI, James Comey, no início deste mês, levando críticos a alegarem que o republicano tentou atrapalhar o inquérito da Polícia Federal norte-americana sobre o assunto.

Reportagem adicional de Roberta Rampton, Doina Chiacu e Susan Heavey

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below