7 de Junho de 2017 / às 15:25 / 6 meses atrás

Rússia reforça segurança e corre para concluir estádio da Copa das Confederações

MOSCOU (Reuters) - A Rússia está reforçando a segurança e correndo para terminar um estádio de 800 milhões de dólares para a Copa das Confederações, competição de oito seleções que irá avaliar o nível de preparo do país para receber a Copa do Mundo no ano que vem.

A Rússia vai utilizar quatro das 12 arenas do Mundial --incluindo o Estádio de São Petersburgo, assolado por escândalos-- durante o torneio de duas semanas, que começa em 17 de junho e irá contar com a atual campeã mundial, Alemanha, os vários campeões continentais e a seleção da casa.

Atualmente ocupando o 63º lugar do ranking da Fifa, sua pior posição, a Rússia tem passado por dificuldades e teve três técnicos nos últimos dois anos, mas espera se mostrar como um país-sede apto no torneio, que irá testar a segurança e a logística de sua infraestrutura.

A competição, que será realizada em Moscou, São Petersburgo, Sochi e Kazan, também irá servir para provar que a Copa do Mundo de 2018 irá transcorrer normalmente no país, cujo presidente Vladimir Putin sofre um isolamento político internacional devido aos conflitos na Ucrânia e na Síria.

Depois dos confrontos entre torcedores russos e ingleses que ofuscaram a Eurocopa de 2016 na França, Putin aprovou uma legislação que endurece as punições para atos de violência em eventos esportivos, parte de uma campanha de repressão mais ampla contra o hooliganismo.

As autoridades dizem que, graças ao sistema de venda de ingressos da Copa das Confederações que obriga os compradores a solicitarem uma identificação personalizada, os torcedores serão monitorados e os hooligans serão barrados.

“Os cidadãos que cometeram violações legais sérias durante eventos esportivos, demonstraram racismo, soltaram fogos de artifício, destruíram móveis, tentaram iniciar incêndios estão sob nossos olhares atentos e constantes”, disse Anton Gusev, vice-diretor do departamento do Ministério do Interior a cargo da segurança em locais de competição.

“Isto também se aplica aos hooligans estrangeiros”.

O ministério colocou 191 torcedores em uma lista negra, incluindo 54 envolvidos na invasão do campo na final da Copa da Rússia em Sochi, um incidente que reavivou as preocupações a respeito da capacidade dos estádios russos para lidar com multidões.

Um ataque com bomba no metrô de São Petersburgo que deixou 16 mortos em abril também provocou o receio de um ataque semelhante na Rússia durante o torneio. Na terça-feira, o Serviço Federal de Segurança tentou apaziguar esses temores dizendo que o terrorismo não representa uma ameaça aos participantes e espectadores da Copa das Confederações.

Também em São Petersburgo, a construção do estádio tem sido marcada por atrasos, acusações de corrupção e denúncias de violações aos direitos humanos.

Um novo gramado precisou ser plantado no estádio de 68.000 lgares menos de um mês antes do jogo de abertuta da Copa das Confederações entre Rússia e Nova Zelândia, depois que o primeiro jogo no local foi marcado por defeitos no campo.

Mesmo antes do incidente com a grama, problemas com a tecnologia de campo retrátil do estádio provocaram instabilidade no campo de jogo, tornando-o inadequado para jogos de futebol.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below