21 de Junho de 2017 / às 21:48 / em 4 meses

Brasil pode ter mais 20 IPOs ainda neste ano, diz CEO da B3

SÃO PAULO (Reuters) - O apetite do investidor estrangeiro por papéis de “boas” empresas brasileiras segue firme, o que deve levar de 15 a 20 delas a abrirem o capital ainda em 2017, mesmo com o recrudescimento da crise política no país, disse o presidente-executivo da B3, Gilson Finkelsztain.

“Nos contatos com executivos de bancos, sentimos que há chance de mais 15 a 20 IPOs (oferta inicial de ações, na sigla em inglês) nos próximos seis meses, além daquelas que pediram registro na CVM”, disse Finkelsztain a jornalistas às margens de evento com investidores.

Segundo o executivo, mesmo com a crise política, muitas empresas brasileiras seguem se preparando para captar recursos no mercado, seja por meio de um IPO ou com recursos de investidores estratégicos.

“A percepção no mercado é de que o atual momento é uma transição para um período de maior estabilidade mais adiante”, disse Finkelsztain.

Neste ano, a companhia aérea Azul, a empresa de diagnósticos médicos Hermes Pardini e a locadora de veículos Movida já estrearam no pregão da B3, já fazendo de 2017 o melhor de pelo menos quatro anos em IPOs no país.

Além disso, aguardam aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para seguir com suas ofertas iniciais a rede varejista Atacadão, a resseguradora IRB Brasil, a empresa de tecnologia Tivit, a operadora de planos de saúde Notre Dame, a companhia de agronegócio Biotoscana e a Ômega Geração.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below