28 de Junho de 2017 / às 20:26 / em 5 meses

Renan renúncia à liderança da bancada do PMDB no Senado

BRASÍLIA (Reuters) - O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) anunciou nesta quarta-feira no plenário do Senado a renúncia ao cardo de líder da bancada do partido na Casa.

Renan Calheiros durante reunião da Comissão de Assuntos Econômicos no Senado 20/06/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

“Devolvo agradecido aos meus pares o honroso cargos que me confiaram”, disse o senador.

“Ontem mesmo fiz questão de reiterar o que já havia dito em outro momento, não seria jamais líder de papel, nem estou disposto a liderar o PMDB atuando contra os trabalhadores e os Estados mais pobres da Federação”, acrescentou Renan, que tem criticado duramente a reforma trabalhista proposta pelo presidente Michel Temer.

A renúncia ocorre depois de bate-boca na véspera com o líder do governo no Senado e presidente do PMDB, Romero Jucá (RR).

Renan disse que Temer não tinha “legitimidade” para propor reformas no momento que é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF), disse ser um “erro” do presidente achar que poderia governar sob influência do “presidiário” Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, e ainda insinuou que o presidente não deve concluir o mandato.

Jucá, relator da reforma trabalhista na CCJ, rebateu Renan e defendeu a aprovação do texto e disse que, ao contrário do que alegara o líder peemedebista, a proposta não retira direito dos trabalhadores.

Depois disso, com aval de Temer, Jucá voltou a coletar assinaturas para derrubar Renan da liderança do PMDB.[nL1N1JP0WJ]

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below