1 de Julho de 2017 / às 18:56 / 4 meses atrás

Catar irá rejeitar demandas árabes mas está pronto para diálogos, diz chanceler

ROMA (Reuters) - O Catar irá rejeitar uma série de demandas feitas por diversos outros países árabes, informou neste sábado seu ministro das Relações Exteriores, acrescentando que o ultimato dos países não tinha objetivo de atacar o terrorismo, e sim de restringir a soberania do Catar.

Mas o xeique Mohammed bin Abdulrahman al-Thani, falando a repórteres em Roma, disse que Doha continuava pronta para sentar e discutir as queixas levantadas por seus vizinhos árabes.

Os comentários foram feitos antes de um prazo final estabelecido pela Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Barein e Egito para Doha aceitar 13 demandas. Autoridades dizem que elas têm objetivo de acabar com uma rixa que teve início no mês passado por acusações de que o Catar apoia terrorismo. O Catar nega as acusações.

“A lista de demandas será rejeitada, não será aceita. Nós estamos dispostos a nos engajarmos em diálogos, mas sob condições próprias”, disse.

As demandas incluem corte de laços com grupos terroristas, fechamento do canal por satélite pan-árabe Al Jazeera, rebaixamento de laços com o arquirrival Irã e fechamento de uma base aérea turca no Catar.

Estados árabes haviam dito que as demandas não são negociáveis e alertaram que outras medidas não especificadas serão tomadas caso o Catar não as cumpra.

Por Philip Pullella and Mostafa Hashem

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below