14 de Julho de 2017 / às 13:37 / 3 meses atrás

Trump encerra visita a Paris com desfile do Dia da Bastilha

PARIS (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assistiu soldados norte-americanos e franceses marcharem juntos sob o sol de Paris nesta sexta-feira em uma dupla comemoração: os 100 anos transcorridos desde que tropas norte-americanas entraram na Primeira Guerra Mundial e o feriado francês anual do Dia da Bastilha.

Presidente norte-americano, Donald Trump, e primeira-dama, Melania Trump, em frente a bandeira dos Estados Unidos durante parada militar do Dia da Bastilha em Paris 14/07/2017 REUTERS/Gonzalo Fuentes

A ocasião, que também contou com um sobrevoo binacional de caças norte-americanos F16 e franceses Rafale simbolizando a cooperação militar entre os dois países no Oriente Médio e em outros locais, se seguiu a um dia de conversas com o presidente da França, Emmanuel Macron, um passeio das primeiras-damas pela capital e um jantar para os quatro em um restaurante da Torre Eiffel.

“Grande noite com o presidente @EmmanuelMacron e a senhora Macron. Fomos à Torre Eiffel para jantar. Relacionamento com a França mais forte do que nunca”, tuitou Trump.

As cerimônias encerraram uma visita que Macron precisa para fortalecer a posição de seu país na arena global, e que também pode ajudar um líder dos EUA que ficou carente de amigos internacionais devido ao seu posicionamento sobre livre comércio e mudança climática.

Trump, também pressionado em casa por uma investigação sobre a suposta interferência da Rússia na eleição de 2016, pareceu deixar a porta aberta para mais conversas sobre o acordo do clima de Paris, do qual retirou os EUA mais cedo neste ano.

No desfile desta sexta, os dois chefes de Estado se sentaram juntos em uma plataforma aplaudindo, apontando e se tocando no braço enquanto aeronaves militares cruzavam o céu.

“A presença do senhor Trump ao meu lado é um sinal de uma amizade duradoura, e quero agradecê-lo”, disse Macron em um discurso mais tarde. “Nada pode nos separar jamais... quero agradecer a América pela escolha feita cem anos atrás”.

Para a França, o Dia da Bastilha deste ano foi especialmente comovente por ser o primeiro aniversário de um dos ataques mais letais cometidos por um militante islâmico nos últimos anos.

Após o desfile, seu primeiro como presidente, Macron seguirá para a cidade mediterrânea de Nice, onde participará de uma homenagem às 86 pessoas que morreram quando um tunisiano lançou um caminhão contra uma multidão na avenida à beira-mar um ano atrás.

Reportagem adicional de Ayesha Rascoe

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below