8 de Agosto de 2017 / às 10:31 / em 2 meses

Juiz do Equador ordena prisão domiciliar de ex-auditor fiscal em caso Odebrecht

QUITO (Reuters) - Um juiz do Equador determinou na segunda-feira a prisão domiciliar de um ex-auditor fiscal do país por acusações de que teria recebido mais de 10 milhões de dólares em troca de favores a construtora Odebrecht, em um marco da investigação sobre envolvimento de autoridades locais na rede de subornos da empreiteira na região.

Logo da construtora brasileira Odebrecht em Lima, no Peru 24/01/2017 REUTERS/Guadalupe Pardo

Carlos Pólit, que foi destituído pela Assembleia Nacional no mês passado e que se encontra atualmente nos Estados Unidos, foi acusado de receber subornos da Odebrecht para emitir relatórios favoráveis sobre projetos que a construtora desenvolvia no país andino.

“O juiz aceitou o pedido de prisão preventiva, no entanto, como o ex-auditor é uma pessoa 65 anos, a substitui por prisão domiciliar”, disse a Promotoria do país em comunicado. Além disso, o magistrado ordenou a apreensão de contas bancárias e a proibição de alienar bens.

A atuação de Pólit teria ajudado a evitar multas contra a Odebrecht de cerca de 70,6 milhões de dólares entre 2010 e 2011, disse a Promotoria.

Os advogados de Pólit negaram as acusações e classificaram as evidências de ilegítimas.

Reportagem de Alexandra Valencia

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below