December 10, 2017 / 1:14 PM / in 2 months

Protestos contra Trump diminuem em Jerusalém e Cisjordânia; violência avança em Beirute

Por Jeffrey Heller

JERUSALEM (Reuters) - Os protestos palestinos diminuíram na Cisjordânia e na Faixa de Gaza neste domingo, enquanto a violência foi deflagrada perto da embaixada norte-americana em Beirute devido à decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

Os quatro dias de protestos em territórios palestinos devido ao anúncio de Trump na quarta-feira acabaram, em sua maioria, mas a revogação da política de longa data dos EUA  sobre Jerusalém – uma cidade sagrada para Judeus, Muçulmanos e Cristãos – atraiu mais alertas árabes em relação a potenciais danos para as perspectivas de paz no Oriente Médio.

“Nossa esperança é que tudo se acalme e que nós retornemos ao caminho de uma vida normal sem revoltas e violência”, disse o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, na rádio do Exército.

Mas o príncipe-herdeiro de Abu Dabhi, Sheikh Mohammed bin Zayed al-Nahayan, o líder de fato dos Emirados Árabes Unidos, disse que a situação ameaça gerar violência.

“O movimento dos EUA pode lançar uma boia salva-vidas para grupos terroristas e armados, que começaram a perder território na região”, ele disse.

Em Beirute, enquanto isso, as forças de segurança libaneses dispararam gás lacrimogênio e jatos de água contra manifestantes, a maioria deles segurando bandeiras palestinas, perto da embaixada norte-americana.

Os manifestantes atearam fogo nas ruas, queimaram bandeiras dos EUA e de Israel e arremessaram objetos contra as forças de segurança, que fizeram barricadas na estrada principal para o complexo.

Ao longo da tensa fronteira de Israel com a Faixa de Gaza, as Forças Armadas de Israel destruíram o que consideraram um “significativo” túnel de ataque cavado entre as fronteiras pelo grupo dominante da região, o Hammas.

Não houve comentários imediatos sobre a demolição, que aconteceu enquanto facções palestinas tentavam cumprir o prazo deste domingo para que o Hammas entregasse a Faixa de Gaza pelo Hammas ao presidente Mahmoud Abbas, apoiado pelo Ocidente, com mediação do Egito, após um rompimento de uma década.

Ataques israelenses antes do amanhecer na Faixa de Gaza no sábado mataram dois atiradores palestinos após militantes terem disparado foguetes na área em direção a Israel na sexta-feira. 

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below