December 12, 2017 / 1:38 PM / 2 months ago

Investigadores buscam pistas sobre tentativa de explosão em Nova York

Por Nick Zieminski e Daniel Trotta

NOVA YORK (Reuters) - Investigadores estão procurando motivos que fizeram com que um bengalês detonasse uma bomba amarrada no próprio corpo em um terminal de transportes em Nova York durante o horário de pico da manhã de segunda-feira, o que está sendo considerado como uma tentativa de ataque terrorista.

Três pessoas, incluindo um policial, sofreram pequenas lesões quando o suspeito, Akayed Ullah, de 27 anos, detonou uma bomba caseira em uma passagem subterrânea entre a estação de metrô que fica debaixo do terminal de ônibus de Port Authority e a estação de metrô da Times Square, no centro de Manhattan.

Ullah foi levado a um hospital após sofrer queimaduras causadas pelo dispositivo explosivo, que estava preso em seu corpo e que não explodiu completamente, disseram autoridades.

Investigadores disseram à Reuters que acreditam que o incidente deveria ter sido um ataque suicida.

Detalhes sobre a vida de Ullah emergiram na segunda-feira. O ex-motorista de limusines chegou aos Estados Unidos em 2011 por meio de um visto familiar, disseram autoridades.

Ullah vivia com a mãe, irmã e dois irmãos no Brooklyn e detinha um green card, disse Shameem Ahsan, cônsul-geral de Bangladesh em Nova York.

Ele veio do distrito de Chittagong, que fica no sudeste de Bangladesh, e visitou o país pela última vez no dia 8 de setembro, disse o inspetor geral de polícia A K M Shahidul Hoque à Reuters, na segunda-feira.

Ullah não tinha histórico criminal em Bangladesh, disse Hoque, e diversas autoridades norte-americanas com conhecimento da investigação disseram à Reuters que não há nenhuma informação que indique que Ullah era conhecido anteriormente de agências de segurança dos EUA por quaisquer conexões com grupos militantes.

Entretanto, autoridades não estão descartando a possibilidade de que alguma conexão possa ser descoberta.

Uma autoridade com conhecimento do caso disse que investigadores encontraram evidências de que Ullah havia assistido a propagandas de militantes do Estado Islâmico na internet.

Autoridades não comentaram imediatamente sobre os motivos de Ullah. Perguntado sobre se o bengalês havia reivindicado ou não alguma conexão com o Estado Islâmico, o comissário de polícia de Nova York, James O‘Neill disse: “Ele fez declarações, mas nós não iremos falar sobre isso agora.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below