December 21, 2017 / 10:07 PM / a year ago

Separatistas catalães estão no caminho de retomar controle do Parlamento

BARCELONA (Reuters) - Partidos pró-independência estão no caminho de manter maioria absoluta no Parlamento regional da Catalunha, segundo resultados iniciais das eleições nesta quinta-feira, possivelmente prolongando a pior crise política da Espanha em décadas.

Votos são contabilizados após fechamento das urnas nas eleições regionais da Catalunha em Barcelona, Espanha 21/12/2017 REUTERS/Jon Nazca

Os resultados preliminares, baseados em cerca de 40 por cento dos votos contados, parecem confirmar uma pesquisa boca de urna anterior. Resultados finais são esperados para após a meia noite local.

Uma nova maioria absoluta separatista irá abrir um novo e incerto capítulo e colocar dúvidas sobre a habilidade do primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, de traçar uma linha sob a crise que prejudicou a economia da Espanha e gerou um êxodo empresarial para fora da Catalunha.

    A eleição se tornou um referendo de facto sobre quanto apoio o movimento separatista conseguiu desde que Rajoy destituiu o governo da Catalunha por realizar em 1º de outubro um referendo banido sobre a separação da Espanha e declarar independência unilateralmente.

    Os partidos separatistas foram vistos recebendo cerca de 71 assentos na assembleia de 135 assentos, segundo dados preliminares. O bloco unionista irá conseguir cerca de 56 assentos, enquanto a ramificação local do anti-austeridade Podemos terá 8 assentos.

Em manifestações pró-independência em Barcelona, apoiadores aguardando os resultados expressaram esperança nos resultados preliminares.     

    “Esta eleição é o mais perto que teremos de um referendo”, disse Joan Garcia, programador de 28 anos assistindo os resultados em uma tela gigante em um evento. “Caso os partidos da independência vençam, o governo espanhol terá que nos ouvir”.

    Rajoy havia esperado que a eleição retornasse à Catalunha o que chamou de “normalidade” sob o governo unionista ou com um governo separatista que não irá buscar uma ruptura unilateral.

    Ele disse que irá rescindir o controle direto que impôs sobre a Catalunha independentemente do resultado, mas que pode reimpor caso um novo governo busque novamente independência de forma ilegal.

A pesquisa boca de urna e resultados preliminares contradizem pesquisas de opinião finais pré-eleição publicadas na sexta-feira, que previam partidos separatistas perdendo controle do Parlamento regional em disputa acirrada com unionistas.

    Em tal cenário, o próximo governo catalão iria somente emergir dentro de semanas de barganhas entre partidos sobre coalizões viáveis – embora um efetivo governo de minoria separatista ainda seria provável.

    Analistas disseram que uma nova maioria absoluta para o campo pró-independência irá demonstrar a capacidade de mobilizar apoiadores, mesmo que tenha perdido parte de seu momento desde o referendo.

    “O que isto mostra é que o problema para Madri continua e que o movimento de separação não irá embora”, disse Antonio Barroso, vice-diretor de pesquisa na companhia de pesquisas Teneo Intelligence, sediada em Londres.

    (Reportagem adicional de Jesus Aguado, em Madri, e Robert-Jan Bartunek, em Bruxelas)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below