January 15, 2018 / 11:09 AM / 4 months ago

Havaí diz que falta de medidas adequadas à prova de falhas levou a alarme falso de míssil

Por Jolyn Rosa

Placa eletrônica com dizeres "Não há ameaça" é vista após falso alerta de míssil no Havaí 13/01/2018 Instagram/@sighpoutshrug/via REUTERS

HONOLULU (Reuters) - Erro humano e falta de medidas adequadas à prova de falhas durante um exercício de alerta da defesa civil levaram ao falso alerta de míssil que gerou pânico no Havaí durante o fim de semana, reconheceu no domingo um porta-voz da agência estadual de gerenciamento de emergências.

Falando sobre as origens do alerta falso de sábado, que permaneceu sem ser corrigido por quase 40 minutos, o porta-voz Richard Rapoza disse que o funcionário que enviou por engano o alerta de míssil “foi temporariamente realocado” para outras funções.

Rapoza disse que uma investigação interna sobre o erro será concluída até o final desta semana, e que a Agência de Gerenciamento de Emergências do Havaí saudou uma revisão externa da Comissão Federal de Comunicações (FCC), que possui jurisdição sobre sistemas de alerta sem fio nos Estados Unidos.

Rapoza também disse que novos exercícios do sistema de alerta de emergência não serão feitos até que novas medidas sejam colocadas em vigor para reduzir a chance de futuros alarmes falsos e para retirar rapidamente quaisquer alertas enviados por erro.

O presidente da FCC, Ajit Pai, disse no domingo que a investigação da agência sobre o incidente até o momento sugere que “salvaguardas razoáveis ou processos de controle” estavam faltando, um ponto que Rapoza disse que autoridades da Agência de Gerenciamento de Emergências do Havaí não contestam.

O erro ocorreu quando, no meio de um exercício durante uma mudança de turno na agência, um funcionário fez a seleção errada em um menu no computador, escolhendo ativar um alerta de lançamento de míssil ao invés da opção para gerar um alerta interno de teste, disse Rapoza.

O funcionário, acreditando que a seleção correta foi feita, clicou “sim” quando o sistema do computador perguntou se gostaria de proceder, disse Rapoza.

O governador David Ige disse inicialmente no sábado que “um funcionário apertou o botão errado”.

A mensagem resultante, em meio a tensões internacionais elevadas sobre o desenvolvimento de armas nucleares da Coreia do Norte, dizia: “ALERTA DE EMERGÊNCIA AMEAÇA DE MÍSSIL BALÍSTICO A CAMINHO DO HAVAÍ. BUSQUE ABRIGO IMEDIATO. ISTO NÃO É UM EXERCÍCIO”.

A mensagem foi transmitida para celulares e difundida na TV e rádio no Estado pouco após as 8h de sábado (horário local), e demorou 38 minutos para ser retratada por uma mensagem oficial.

O erro gerou histeria e confusão no Estado, lar de cerca de 1,4 milhão de pessoas e de uma intensa concentração de estruturas do comando militar dos EUA.

Reportagem adicional de Steve Gorman, em Los Angeles, David Shephardson, em Detroit, e Steve Holland, na Flórida

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below