March 22, 2018 / 12:12 PM / 6 months ago

Assad se aproxima de vitória em Ghouta Oriental com iminência de partida de rebeldes

BEIRUTE/DAMASCO (Reuters) - O governo da Síria chegou mais perto de acabar com a resistência dos rebeldes em Ghouta Oriental nesta quinta-feira, quando civis partiram de uma das cidades sitiadas e assoladas por bombardeios e insurgentes se preparavam para sair de outra.

Destroços de prédios bombardeados em Douma REUTERS/Bassam Khabieh

A ofensiva do Exército em Ghouta Oriental, uma área de cidades e terras de cultivo nas proximidades de Damasco, está sendo uma das mais intensas da guerra civil de sete anos da Síria, já tendo matado mais de 1.500 pessoas por meio de um bombardeio incansável com aviões de guerra, artilharia e foguetes.

Uma testemunha da Reuters disse que 15 ônibus foram à cidade de Harasta para transportar combatentes e suas família a áreas da oposição no noroeste sírio graças a um acordo mediado pela Rússia, aliada do governo.

O grupo de monitoramento Observatório Sírio dos Direitos Humanos disse que mais de 4 mil pessoas fugiram de Douma, a maior cidade controlada pelos rebeldes, desde quarta-feira, seguindo para territórios do governo.

A decisão do grupo Ahrar al-Sham de entregar Harsata só deixa Douma e outro bolsão de insurgentes em Ghouta Oriental, que inclui as cidades de Jobar, Ein Terma, Arbin e Zamalka, nas mãos da oposição.

Elas são tudo que resta do principal bastião insurgente próximo da capital Damasco, o maior prêmio para o presidente sírio, Bashar al-Assad, em sua luta contra os rebeldes desde a recaptura de Aleppo no final de 2016.

Ataques aéreos sacudiram partes de Ghouta Oriental na manhã desta quinta-feira, atingindo Arbin e Zamalka e matando 19 pessoas, segundo o Observatório.

Um oficial do Exército entrevistado pela televisão estatal exortou os rebeldes que ainda não negociaram um acordo a desistirem. “A morte está chegando para vocês se não se renderem”, disse.

No domingo Assad foi de carro até uma frente de batalha recém-capturada em Ghouta Oriental, uma demonstração de sua posição aparentemente inabalável na guerra, que corre a seu favor desde que a Rússia enviou seu poderio aéreo em seu auxílio em 2015.

O acordo para a rendição de Harasta é o primeiro com rebeldes de Ghouta Oriental e começou nesta quinta-feira com uma troca de prisioneiros. Em uma entrevista à TV estatal, um soldado sírio libertado pelos insurgentes chorou e agradeceu a Deus e ao Exército por sua libertação.

A testemunha da Reuters no cruzamento de Harasta disse que o Exército removeu as barreiras da antiga frente de batalha, posicionadas ao longo da estrada que segue para a cidade, para permitir a passagem dos ônibus.

Na última semana dezenas de milhares de pessoas fugiram pelas frentes de batalha rumo aos territórios do governo.

Por Firas Makdesi e Kinda Makieh, em Damasco; Ellen Francis e Angus McDowall

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below