September 26, 2019 / 2:03 PM / 20 days ago

Aras tem responsabilidade enorme porque muitos interesses passam pelo Ministério Público, diz Bolsonaro

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que o novo procurador-geral da República, Augusto Aras, tem uma enorme responsabilidade pelo fato de que muitos interesses do país passam pelo Ministério Público, mas ressaltou que o órgão deve seguir altivo e independente.

Bolsonaro participa de evento no Planalto 20/9/2019 REUTERS/Adriano Machado

Discursando após Bolsonaro, Aras disse que o MP vai agir com autonomia em defesa dos valores que permeiam a Constituição.

“A responsabilidade dele (Aras) é enorme, porque muita coisa de interesse do nosso querido Brasil passa pelo Ministério Público, e nós sabemos da importância desse órgão nos destinos da nossa nação”, disse Bolsonaro na cerimônia de posse realizada no Palácio do Planalto.

“Não é apenas um fiscal da lei, outras atribuições cabem a ele. Em grande parte, nós brasileiros, estaremos perfeitamente alinhados com suas decisões. O Ministério Público tem que continuar altivo, independente e obviamente extremamente responsável. É isso que todos nós do Brasil queremos”, acrescentou o presidente.

Em sua fala na cerimonia, o novo PGR afirmou que a “nota forte” da sua gestão será o diálogo, e que o Ministério Público irá agir com independência e autonomia, “defendendo o estado democrático de direito, as liberdades individuais e os valores que permeiam a Constituição Federal”.

“O Ministério Público tem o sagrado dever de velar todos esses valores, e o haverá de fazer com a independência, a autonomia aqui referida pelo senhor presidente”, afirmou Aras.

EQUIPE

Uma outra cerimônia será realizada no dia 2 de outubro, na Procuradoria-Geral da República, como é praxe. Posses no Planalto não são comuns e no período recente, apenas a recondução de Rodrigo Janot, ainda no governo de Dilma Rousseff, teve uma cerimônia no Palácio do Planalto.

De acordo com Aras, essa cerimônia no Planalto teria sido para facilitar a sua transição para PGR, já que o órgão está com um interino desde a saída de Raquel Dodge do cargo, há 10 dias.

“Eu a partir de hoje começo a reorganizar os trabalhos administrativos”, disse o novo procurador-geral.

Mais tarde, a assessoria de imprensa da PGR informou alguns dos nomes já nomeados por Aras, entre eles José Bonifácio Borges de Andrada, para vice-procurador-geral da República, e a manutenção de Humberto Jacques de Medeiros como vice-procurador-geral eleitoral, cargo que ocupou quando Raquel Dodge foi procuradora-geral.

Borges de Andrada foi vice-procurador-geral do procurador-geral Rodrigo Janot entre setembro de 2016 e setembro de 2017.

A praxe é que a indicação de um novo PGR seja feita antes da saída do anterior e com tempo hábil para a aprovação do Senado, o que permite uma transição mais tranquila. Bolsonaro, no entanto, só indicou Aras no dia 5 de setembro. A sabatina e aprovação pelo Senado ocorreu só nesta semana, na quarta-feira.

Por Lisandra Paraguassu

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below