October 29, 2019 / 1:31 PM / in 23 days

Oposição britânica apoia eleição em dezembro para romper impasse do Brexit

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido está a caminho de uma eleição em dezembro, depois que a aposta do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em romper o impasse sobre a separação da União Europeia com uma eleição antecipada recebeu o apoio da oposição.

Líder trabalhista britânico, Jeremy Corbyn 24/09/2019 REUTERS/Peter Nicholls/File Photo

Enquanto a UE finaliza um terceiro adiamento da data para a ruptura marcada originalmente para 29 de março, o Reino Unido, seu Parlamento e seus eleitores continuam divididos sobre como, ou até mesmo se, devem ir em frente com o Brexit.

Johnson, que havia prometido concretizar o Brexit em 31 de outubro “custe o que custar”, pediu uma eleição várias vezes para encerrar o que retrata como uma paralisia aterrorizante que está minando a confiança ao impedir qualquer desfecho para o Brexit.

Como o Parlamento negou a Johnson na segunda-feira sua terceira exigência de uma eleição, nesta terça-feira ele tentará forçar o Legislativo a aprovar um projeto de lei que pede uma eleição em 12 de dezembro, só precisando de uma maioria simples para tanto.

Com uma manobra que aumenta a chance de uma vitória parlamentar rara para Johnson, o líder do opositor Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, disse que a condição da sigla de descartar uma saída sem acordo foi atendida e que por isso apoiará uma votação.

“Agora lançaremos a campanha mais ambiciosa e radical por uma mudança real que este país já viu”, disse Corbyn à sua equipe sênior, de acordo com seu escritório.

Os parlamentares ainda podem fazer mudanças consideráveis no projeto de lei do premiê. Os partidos da oposição ainda debatem que dia de dezembro é o melhor para uma eleição e se permitem que cidadãos estabelecidos na UE votem.

Enquanto isso, a legislação para sancionar o acordo do Brexit de Johnson foi posta de lado à espera de uma eleição, disse Jacob Rees-Mogg, que supervisiona a pauta legislativa do governo na Câmara dos Comuns.

A primeira eleição natalina no Reino Unido desde 1923 seria altamente imprevisível. O Brexit conseguiu alternadamente cansar e enfurecer parcelas do eleitorado e ao mesmo tempo erodir lealdades tradicionais dos dois principais partidos, os conservadores e os trabalhistas.

Embora quase todos os políticos britânicos concordem que um pleito é necessário, os oponentes de Johnson querem infligir o máximo de dano políticos impedindo que seu acordo de última hora seja ratificado antes da eleição.

Reportagem adicional de Paul Sandle, Elizabeth Piper e Helena Williams

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below