for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Governo inicia programa piloto com EUA para facilitar vistos para executivos

Presidente Jair Bolsonaro e presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca 19/03/2019 REUTERS/Kevin Lamarque

BRASÍLIA (Reuters) - O governo do presidente Jair Bolsonaro vai iniciar com o governo dos Estados Unidos um piloto para implementação do programa Global Entry, um sistema facilitado de vistos de entrada nos EUA para executivos.

De acordo com a Casa Civil, o piloto será feito com cerca de 20 executivos que hoje fazem parte do fórum de negócios Brasil-Estados Unidos e servirá de teste para verificar às necessidades técnicas e operacionais para implementação do programa geral.

O Global Entry não substitui a necessidade de visto, mas permite aos executivos com vistos de negócio uma entrada mais rápida na chegada nos Estados Unidos, com a liberação sendo feita eletronicamente, sem necessidade de passar pela imigração formal.

De acordo com nota da Casa Civil, ainda não há data para o piloto ser iniciado, mas deve ser “em breve”. Um acordo foi assinado nesta segunda-feira durante o Fórum de Altos Executivos Brasil-EUA, em Washington.

Hoje 11 países estão na lista do Global Entry. Entre eles a Argentina, que entrou em maio de 2017, Colômbia e México.

O Brasil negocia há vários anos a entrada no Global Entry, assim como o fim da exigência de visto para turistas, mas com pouco sucesso.

Este ano, o governo brasileiro decidiu abolir unilateralmente a exigência de vistos de turistas e negócios para norte-americanos e também japoneses, canadenses e australianos, em um movimento diplomático pouco comum. Normalmente, países só retiram a exigência de vistos em negociações de reciprocidade.

O governo de Jair Bolsonaro, no entanto, alega que a medida irá trazer mais turistas de países desenvolvidos.

Reportagem de Lisandra Paraguassu

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up