February 5, 2020 / 9:52 PM / in 5 months

Senado absolve Trump em votação histórica e batalha pela reeleição esquenta

Por David Morgan, Susan Cornwell, Richard Cowan e Patricia Zengerle

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa no Congresso, com a adversária democrata Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados, ao fundo 04/02/2020 REUTERS/Leah Millis/POOL

WASHINGTON, 5 Fev (Reuters) - O presidente norte-americano, Donald Trump, foi absolvido nesta quarta-feira no julgamento de impeachment no Senado dos Estados Unidos, onde foi salvo por republicanos que se uniram para protegê-lo nove meses antes que ele peça aos eleitores em um país profundamente dividido que lhe deem um segundo mandato na Casa Branca.

O empresário que virou político, de 73 anos, sobreviveu ao que foi apenas o terceiro julgamento de impeachment presidencial na história dos EUA —assim como os outros dois presidentes que sofreram processo de impeachment— no capítulo mais sombrio de seu turbulento mandato. Trump mergulha agora em uma temporada eleitoral que promete polarizar ainda mais o país.

Trump foi absolvido em dois artigos de impeachment aprovados pela Câmara dos Deputados, controlada pelos democratas, em 18 de dezembro. A votação no Senado ficou muito aquém da maioria de dois terços exigida na Casa, com 100 cadeiras, para removê-lo do cargo, sob o Constituição dos EUA.

Por 52 votos a 48, o Senado absolveu o presidente da acusação de abuso de poder decorrente de seu pedido para que a Ucrânia investigasse o rival político Joe Biden, que busca ser o candidato democrata a enfrentar Trump nas eleições de 3 de novembro. O senador republicano Mitt Romney juntou-se aos democratas na votação para condená-lo. Nenhum democrata votou pela absolvição.

O Senado, então, votou por 53 a 47 para absolvê-lo de obstrução do Congresso ao bloquear testemunhas e documentos solicitados pela Câmara. Uma condenação em ambos os casos teria elevado o vice-presidente Mike Pence, outro republicano, à Presidência. Romney se juntou ao restante dos senadores republicanos na votação para absolver o presidente da acusação de obstrução. Nenhum democrata votou pela absolvição.

“Hoje, a tentativa fraudulenta de impeachment inventada pelos democratas terminou com a total justificação e exoneração do presidente Donald J. Trump. Como dissemos o tempo todo, ele não é culpado”, disse a assessoria de imprensa da Casa Branca em comunicado.

JULGAMENTO RÁPIDO

Em cada uma das duas acusações, os senadores votaram um a um no plenário do Senado, sob o comando do presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos, John Roberts.

O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, e outros republicanos planejaram um julgamento reduzido, sem testemunhas ou novas provas. Os democratas consideraram o julgamento uma farsa e um acobertamento. Trump chamou o impeachment de tentativa de golpe e tentativa democrata de anular sua vitória nas eleições de 2016.

Durante todo o drama do impeachment, Trump e seus aliados republicanos continuaram os ataques à integridade de Biden. Resta ver a extensão do dano político que isso causou.

Na primeira das disputas estaduais para determinar o candidato democrata que enfrentará Trump, Biden ficou em um decepcionante quarto lugar em Iowa, de acordo com resultados parciais da votação de segunda-feira. Biden acusou Trump de proferir “mentiras, difamações e distorções”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below