April 1, 2020 / 7:27 PM / 3 months ago

Brasil confirma primeiro caso de coronavírus em indígena da Amazônia

BRASÍLIA (Reuters) - Uma indígena que mora no Alto Rio Solimões em Amazonas contraiu o novo coronavírus, o primeiro caso relatado entre as mais de 300 comunidades indígenas do Brasil, informou a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) nesta quarta-feira.

REUTERS

A indígena Kokama, de 20 anos, que atua como agente indígena de saúde, foi diagnosticada com o vírus no município de Santo Antônio do Içá, localizado próximo à fronteira com a Colômbia e a cerca de 880 quilômetros da capital Manaus.

Quatro casos de coronavírus foram confirmados no mesmo município, inclusive um médico brasileiro que foi diagnosticado na semana passada, o que provocou o temor de a epidemia se espalhar em comunidades indígenas remotas e vulneráveis e causar efeitos devastadores.

A mulher, cujo nome não foi divulgado, é uma das pessoas que tiveram contato com o médico que havia sido diagnosticado com a doença após retornar de férias em Santa Catarina e Paraná.

“Desde o dia 25 de março, o médico e todas as pessoas contactadas por ele, incluindo-se 12 pacientes indígenas e 15 integrantes da equipe de saúde estão em isolamento”, diz a Sesai em comunicado. Dos 27 testes feitos, apenas a mulher testou positivo para o Covid-19.

A profissional encontra-se sem quaisquer sintomas da infecção e seus familiares também se encontram assistidos e em isolamento. As pessoas que tiveram contato com a indígena já estão sob atenção e os 27 testes aplicados estão sendo enviados ao Laboratório Central em Manaus por avião, diz a Sesai.

O médico, cujo nome tampouco foi divulgado, voltou de férias do sul do Brasil para trabalhar com os tikunas, que é uma das maiores etnias amazônicas com mais de 30 mil indígenas e vive no norte da Amazônia, perto das divisas com a Colômbia e o Peru.

Especialistas de saúde alertam que o vírus pode ser letal para os 850 mil indígenas do Brasil, que foram dizimados ao longo dos séculos por doenças trazidas pelos europeus, como o sarampo, a malária e a gripe.

O estilo de vida dos indígenas, que moram em vilarejos comunitários, com moradias com estruturas de palha, aumenta o risco de contágio se um único membro contrair o vírus, que causa a doença respiratória às vezes fatal conhecida como Covid-19.

Em entrevista coletiva diária, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ressaltou que a vigilância da saúde indígena é uma grande preocupação de sua equipe em meio à pandemia do coronavírus.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below