for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Bolsonaro se irrita ao ser cobrado por mulher no Alvorada e culpa governadores por mortes na pandemia

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro se irritou na manhã desta quarta-feira ao ser cobrado por uma mulher que estava entre os apoiadores no Palácio da Alvorada pelos mortes causadas pela pandemia de Covid-19 no Brasil e jogou sobre os governadores dos Estados a culpa pelos óbitos provocados pela doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília 22/05/2020 REUTERS/Adriano Machado

“Nós temos hoje 38 mil famílias com mortos por causa da Covid. E realmente, assim, não são 38 mil de estatística. São 38 mil famílias que estão morrendo neste momento, 30 mil pessoas que estão chorando. Como chefe da nação, eu fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. Eu sinto que o senhor traiu nossa população”, disse a mulher, logo na chegada de Bolsonaro ao local onde estavam seus apoiadores.

O presidente então a deixou falando e saiu de perto. Quando a mulher insistiu, encobrindo a fala de um homem que se disse representante dos caminhoneiros, Bolsonaro se irritou e mandou que ela saísse do local.

“Se quiser falar, sai daqui, que você já foi ouvida. Sai daqui”, disse o presidente que, diante da insistência da mulher, disparou: “Vai cobrar de seu governador”.

Depois, enquanto falava com outras pessoas que estavam no local, Bolsonaro acusou a mulher de fazer “demagogia” ao mesmo tempo que reiterou que não é responsável pelas vítimas da Covid-19.

“Você pode ver, tem aquela figura falando abobrinha aqui. Quem decidiu que lockdown, fechar comércio, competia exclusivamente aos governadores foi o STF. Em vez de falar uma coisa séria, vem fazer uma demagogia aqui”, disse, ao afirmar que lamenta as mortes.

“Agora, querer culpar a mim, quando quem fechou... Tem muita gente morrendo de fome, depressão, suicídio, de uma política que foi feita pensando apenas em um lado, não pensando no todo.”

Desde o início da epidemia, Bolsonaro tem responsabilizado os governadores pelos problemas econômicos e, recentemente, tem também atribuído às mortes causadas pela Covid-19 aos gestores estaduais e municipais.

Na segunda-feira, também ao conversar com apoiadores no Alvorada, Bolsonaro disse que “essa questão de desemprego e mortes, o Supremo Tribunal Federal deu todo poder a eles (governadores)”.

O Brasil chegou na terça-feira a 38.406 mortes causadas pelo coronavírus, e 739.503 casos confirmados de Covid-19, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up