for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Ataque ao STF no sábado foi "cena absurda" e não conta com apoio do governo, diz Maia

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia 11/03/2020 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), classificou nesta terça-feira como “absurdas” e “lamentáveis” as cenas de disparos de fogos de artifício contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Maia avaliou que os ataques “certamente” não contam com o apoio do governo e lembrou que o presidente Jair Bolsonaro, que já prestigiou manifestações antidemocráticas --tendo, inclusive, discursado em uma delas-- tem tomado o cuidado de não comparecer mais a atos do tipo.

Alvo frequente de protestos de militantes do governo, Maia avaliou que uma coisa é apoiar manifestações democráticas, em que as pessoas critiquem instituições. Outra coisa, argumenta o deputado, são atos de vandalismo.

No sábado, o grupo 300 pelo Brasil invadiu área restrita do prédio do Congresso Nacional e lançou fogos de artifício contra o edifício do Supremo.

Na segunda-feira, a ativista Sara Winter e outros cinco integrantes do grupo liderado por ela foram presos temporariamente no âmbito de um inquérito que investiga a organização de atos antidemocráticos a favor de uma intervenção militar, do fechamento do STF e do Congresso Nacional.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up