for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Indiana Essar faz lance por refinaria da Petrobras na Bahia, dizem fontes

Logo da Essar na sede da empresa, em Mumbai, Índia 21/08/2017 REUTERS/Danish Siddiqui

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 30 Jun (Reuters) - O conglomerado indiano Essar Group fez uma oferta vinculante à Petrobras pela segunda maior refinaria de petróleo do Brasil, disseram nesta terça-feira duas pessoas com conhecimento do assunto.

A Petrobras recebeu pelo menos mais uma oferta pela refinaria Landulpho Alves, conhecida como RLAM, com capacidade para 323 mil barris ao dia.

A Essar vai concorrer na disputa com o fundo de Abu Dhabi Mubadala Investment Company.

Uma eventual vitória da Essar marcaria a estreia do grupo no Brasil. A indiana tem cerca de 28 bilhões de dólares em investimentos em ativos de energia, infraestrutura, mineração e serviços, de acordo com o site da empresa.

Ainda não está claro se o terceiro grupo pré-qualificado, a chinesa Sinopec, também fez uma oferta.

Em nota recente aos clientes, analistas do Bradesco BBI avaliaram a refinaria RLAM em 2,5 bilhões de dólares.

De acordo com as regras de venda de ativos da Petrobras, o grupo com a melhor oferta nesta fase vinculante deve entrar em uma fase de negociação dos termos do contrato, num processo que geralmente leva várias semanas.

Dependendo do encaminhamento, isso pode exigir que a Petrobras chame de volta concorrentes à mesa e faça uma rodada final de lances, o que pode potencialmente mudar o resultado da competição, disse uma terceira fonte.

A Petrobras declinou de comentar. A Essar não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

Com reportagem adicional de Paula Arend Laier

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up