for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

ONS vê carga de energia retomar nível de 2019 em julho, com reabertura em Estados

Torres e linhas de transmissão de energia em Brasília (DF) 31/08/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

SÃO PAULO (Reuters) - A carga de energia no sistema elétrico interligado do Brasil deve voltar em julho aos níveis observados no ano passado, antes da pandemia de coronavírus, projetou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) em boletim nesta sexta-feira.

O órgão prevê que a demanda deve atingir 63,1 gigawatts médios neste mês, com leve avanço de 0,1% ante mesmo mês do ano passado, em meio à retomada gradual das atividades econômicas em diversos Estados após longas quarentenas.

O Sudeste, principal centro de carga, deverá registrar uso de energia 0,9% acima do visto em julho passado, enquanto na região Norte deverá haver alta de 1,3% na comparação anual.

O ONS estimou que o Nordeste deve registrar carga 0,2% acima da verificada no mesmo período do ano passado, enquanto o Sul, primeira parte do país que começou a flexibilizar quarentenas, deve ser a única com contração, de 3,2%, em meio ao aumento de mortes por coronavírus na região.

Na semana passada, o ONS havia projetado queda de 0,3% na carga do Brasil em comparação anual, com recuo de 0,3% no Sudeste e contração de 2,9% no Sul, menor que a prevista agora.

O órgão do setor elétrico projetou ainda chuvas muito acima da média histórica para julho no Sul, em 146% da média histórica, contra 80% estimados na semana anterior, com a região aparentemente se recuperando de uma longa seca iniciada ainda em meados do ano passado.

No Sudeste onde estão os principais reservatórios hidrelétricos as precipitações foram estimadas em 81% da média histórica, ante 84% na semana anterior.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up