for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Contrariado, Messi diz que fica no Barcelona, mas chama direção do clube de "desastre"

BARCELONA (Reuters) - Lionel Messi encerrou as especulações sobre seu futuro no Barcelona anunciando nesta sexta-feira que permanecerá relutantemente por mais uma temporada no clube, ao invés de confrontar o time onde jogou durante toda sua carreira nos tribunais.

Lionel Messi durante partida entre Barcelona e Bayern de Munique pela Liga dos Campeões 14/08/2020 REUTERS/Rafael Marchante/Pool

Uma semana depois de dizer que queria sair do time espanhol, e em meio a uma disputa contratual, o meia-atacante de 33 anos eleito seis vezes melhor jogador do mundo deu aos torcedores do Barça a notícia que esperavam.

Mas o argentino fez isso atacando duramente a direção do clube.

“Não estava contente e queria sair. Não me foi permitido de forma alguma e vou ficar no clube para não entrar em uma disputa jurídica. A direção do clube, liderada pelo (presidente Josep Maria) Bartomeu, é um desastre”, disse Messi ao site Goal.com.

Ao permanecer na equipe catalã pelo quarto e último ano de seu atual contrato, ele se qualifica para um bônus de lealdade de 63 milhões de euros e poderá deixar o clube em uma transferência gratuita ao final do vínculo.

“Continuarei no Barça e minha atitude não mudará, por mais que eu quisesse sair”, disse. “Queria sair porque pensei em viver meus últimos anos no futebol feliz. Ultimamente, não tenho encontrado felicidade no clube.”

Mais cedo nesta sexta-feira, o pai e representante do jogador, Jorge Messi, havia insistido em uma carta à La Liga que uma multa rescisória de 700 milhões de euros constante do contrato não é valida e que seu filho poderia partir de graça.

A liga respondeu dizendo que mantém um comunicado emitido no domingo em apoio ao Barcelona.

Apesar do impasse entre o campo de Messi, de um lado, e o Barcelona e a liga espanhola, de outro, ele encerrou a crise e finalizará o contrato com o time no qual conquistou mais de 30 troféus e marcou mais de 600 gols.

O Barcelona foi eliminado da Liga dos Campeões no mês passado após a surra de 8 x 2 do eventual vencedor Bayern de Munique, e contratou Ronald Koeman para o lugar do técnico demitido Quique Setién.

A notícia de que Messi continuará no Barça, ainda que contrariado, decepcionará os clubes que esperavam contratá-lo --entre eles o inglês Manchester City, treinado por Pep Guardiola, seu ex-técnico no Barcelona.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up