for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Republicanos dos EUA reforçam pedido por adiamento de escolha de presidente do BID

WASHINGTON (Reuters) - Três ex-autoridades republicanas dos Estados Unidos se juntaram a um grupo crescente que pede o adiamento da votação para a escolha do próximo líder do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), marcada para acontecer em meados de setembro, parte de uma oposição cada vez maior ao primeiro candidato norte-americano na história da entidade.

O ex-secretário de Estado George Shultz, o ex-presidente do Banco Mundial Robert Zoellick e a ex-representante comercial dos EUA Carla Hills exigiram a postergação em uma nota conjunta com o senador Patrick Leahy, o principal democrata no poderoso Comitê de Apropriações do Senado norte-americano.

Mauricio Claver-Carone, indicado pelo presidente Donald Trump para chefiar o BID, seria a primeira pessoa de fora da região a dirigir o banco em seus 61 anos de história.

Claver-Carone, conhecido por sua postura linha-dura contra Cuba e Venezuela, é apoiado por 17 dos 28 países membros do BID, mas vários outros, incluindo Argentina, México, Costa Rica e Chile, assim como a União Europeia, estão pedindo o adiamento da votação.

Ainda não está claro se os países, que controlam cerca de 22% dos votos, irão conseguir persuadir um número suficiente de membros de forma a impedir o quorum de 75% necessário para a realização da votação, marcada para os dia 12 e 13 de setembro.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up