for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Bolsonaro elogia decisão do STF que suspende inquérito e volta a atacar Moro

Presidente Jair Bolsonaro é saudado por apoiadores em Coremas, na Paraíba 17/09/2020 Alan Santos/Presidência/Divulgação via REUTERS

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro elogiou, nesta quinta-feira, a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello de suspender a tramitação do inquérito que investiga acusação do ex-ministro Sergio Moro de que o presidente tentou interferir na Polícia Federal, e atacou novamente o ex-ministro.

Em transmissão pelas redes sociais, Bolsonaro disse que agora caberá ao plenário do Supremo decidir se o depoimento que ele próprio deverá prestar será presencial ou por escrito, e que caberá ao presidente do STF, Luiz Fux, pautar o caso para se chegar a uma decisão.

“Está na mão do ministro Fux pautar isso daí, e daí a gente, se Deus quiser, enterra logo esse processo e acaba com essa farsa desse ex-ministro da Justiça de me acusar de forma leviana”, afirmou.

“Ele está de brincadeira esse Sergio Moro, mas tudo bem”, criticou, após relatar que o ex-ministro disse não ter feito acusações ao presidente, mas trazido “fatos” para serem investigados.

Bolsonaro disse que deseja ser ouvido por escrito, o que já ocorreu com presidentes que o antecederam.

Para o ministro relator do inquérito, Celso de Mello, que inicialmente tinha determinado o depoimento presencial de Bolsonaro, a prerrogativa de depor por escrito é apenas de testemunha e não de investigados.

Entretanto, o ministro do STF Edson Fachin permitiu ao então presidente Michel Temer que depusesse por escrito mesmo sendo investigado, uma vez que à época não houve oposição do Ministério Público.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up