for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Trump planeja voltar à campanha com 1º evento público desde diagnóstico de Covid-19

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, planeja seus primeiros passos para retomar a campanha eleitoral de forma presencial, neste sábado, quando fará declarações a apoiadores na Casa Branca, com o objetivo de mostrar que venceu o coronavírus e está de volta à luta.

Trump ficou afastado por mais de uma semana desde o diagnóstico de Covid-19 durante um momento crítico na campanha para a eleição de 3 de novembro. As pesquisas de opinião mostram que o democrata Joe Biden está à frente de Trump por uma margem significativa nacionalmente, mas de forma mais estreita em alguns dos Estados que podem determinar o resultado.

O presidente ainda não recebeu da equipe médica a certificação de que está livre do vírus, mas foi liberado para retomar compromissos públicos no sábado. Ele deve fazer comentários sobre o tema “lei e ordem” em uma sacada da Casa Branca para centenas de pessoas no gramado abaixo.

Na segunda-feira, Trump planeja um comício de campanha no centro da Flórida, um Estado que ele precisa conquistar para ter esperanças de um segundo mandato.

Ainda restam dúvidas sobre se Trump, que anunciou em 2 de outubro que tinha o vírus e passou três noites em um hospital militar, está em fase de contágio.

Em uma aparição na Fox News na noite de sexta-feira, Trump disse que foi testado novamente para o vírus, mas não revelou o resultado. Ele também disse que parou de tomar medicamentos para combater a Covid-19. “Eu me sinto muito forte”, declarou Trump.

Trump e seu governo enfrentam críticas pelo modo como lidam com a pandemia, incluindo uma abordagem negligente do uso de máscaras e do distanciamento social na Casa Branca e - nos últimos dias – com mensagens confusas sobre a saúde do presidente.

BIDEN NA PENSILVÂNIA

Biden criticou duramente a decisão de Trump de retomar a campanha. “Boa sorte. Eu não apareceria a menos que você tivesse uma máscara e pudesse se distanciar”, disse ele a repórteres em Paradise, no Estado de Nevada.

Uma fonte familiarizada com o planejamento do evento na Casa Branca afirmou que todos os participantes deverão usar máscaras. Na Flórida, as pessoas passarão por verificação de temperatura, serão incentivadas a usar máscara e terão acesso a desinfetante para as mãos, disse a campanha.

Biden viajará no sábado para a cidade de Erie, no noroeste da Pensilvânia, um Estado que Trump ganhou por pequena margem na disputa com a democrata Hillary Clinton nas eleições de 2016.

O ex-presidente democrata Barack Obama venceu na região nas duas eleições anteriores e Biden, que era o vice-presidente de Obama, fez do local uma prioridade máxima.

Reportagem adicional de Trevor Hunnicutt

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up