for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Nacional

Evento adverso que parou testes com CoronaVac foi suicídio de voluntário, diz fonte

Caixas e ampolas da potencial vacina da Sinovac contra Covid-19 24/09/2020 REUTERS/Thomas Peter

SÃO PAULO (Reuters) - O evento adverso que levou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a suspender os testes com a Coronavac --vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac cujos testes no Brasil são liderados pelo Instituto Butantan-- foi o suicídio de um voluntário, disse à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto.

Mais cedo, em entrevista coletiva, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, se recusou a dar detalhes sobre o evento adverso apontado pela Anvisa, alegando questões éticas e de sigilo envolvidos em pesquisas médicas. Ele, no entanto, reiterou por diversas vezes que o episódio não tinha relação com a vacina.

A informação de que o voluntário cometeu suicídio foi inicialmente divulgada pela TV Cultura, emissora que assim como o Butantan é vinculada ao governo do Estado de São Paulo, e posteriormente confirmada pela Reuters com uma fonte que acompanha o assunto.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo afirmou que o caso da morte do voluntário foi registrado em uma delegacia do bairro do Jaguaré, zona oeste da capital paulista, e é investigado como suicídio.

“Exames periciais estão em andamento e mais detalhes não serão divulgados até a conclusão dos laudos técnicos para não atrapalhar as investigações”, disse a secretaria.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up