September 24, 2014 / 9:44 PM / 4 years ago

Militantes argelinos decapitam turista francês sequestrado

ARGEL (Reuters) - Militantes argelinos decapitaram o turista francês Hervé Gourdel, sequestrado por atiradores no domingo no que o grupo disse ser uma resposta à ação da França contra os combatentes do Estado Islâmico no Iraque.

Foto do turista francês Gourdel, decapitado por militantes, é mostrada na cidade de Saint-Martin-Vesubie. REUTERS/Patrice Massante

Em um vídeo divulgado por seus captores, Gourdel, de 55 anos e natural da cidade de Nice, é visto ajoelhado com os braços amarrados atrás das costas diante de quatro militantes mascarados que leem uma declaração em árabe criticando a intervenção francesa.

Em seguida, eles o empurram para um lado e o seguram. O vídeo não mostra a decapitação, mas mais tarde um combatente segura a cabeça diante da câmera.

“Eis por que os Soldados do Califado na Argélia decidiram punir a França, executando este homem, e defender nosso amado Estado Islâmico”, diz um dos militantes no comunicado que lê em voz alta.

A França lançou seus primeiros ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico no Iraque na sexta-feira passada, e afirmou que tudo deve ser feito para livrar a região do grupo.

O presidente francês, François Hollande, confirmou a morte de Gourdel, e prometeu que as operações militares francesas contra o grupo radical sunita prosseguirão.

“Nosso compatriota foi morto de forma cruel e covarde por um grupo terrorista. Hervé Gourdel foi assassinado por ser francês”, declarou Hollande, visivelmente abalado pelos eventos, na Organização das Nações Unidas (ONU). “Minha determinação é total, e esta agressão só a fortalece. A França continuará a combater os terroristas em toda parte. As operações contra o Estado Islâmico irão continuar”.

Os Soldados do Califado, grupo ligado aos militantes do Estado Islâmico na Síria e no Iraque, publicaram um vídeo na segunda-feira assumindo a responsabilidade pelo sequestro e mostraram o homem que se identificou como Gourdel.

O rapto ocorreu depois que o porta-voz do Estado Islâmico, Abu Muhammad al-Adnani, exortou os seguidores do grupo a atacarem cidadãos dos EUA, da França e de outros países que se juntaram à coalizão que almeja destruir a facção radical.

Pouco antes de os militantes fazerem a declaração no vídeo, Gourdel disse à família que os amava.

Não houve comentários de imediato dos familiares de Gourdel, mas um amigo, Eric Grinda, declarou ao canal de televisão francês i-Tele: “Eles querem atiçar as chamas do ódio e nos fazer reagir. Eles só são capazes de fazer uma coisa, assassinar um homem de joelhos com as mãos amarradas… minha tristeza é imensa”.

Diplomatas ocidentais e fontes de segurança dizem crer que existam menos de 10 reféns ocidentais ainda em poder do Estado Islâmico.

No início deste mês, os Soldados do Califado anunciaram ter rompido com a Al Qaeda no Magreb Islâmico para apoiar o Estado Islâmico, mais um exemplo das rivalidades crescentes entre este último grupo e a liderança da Al Qaeda.

  (Reportagem adicional de John Irish em Paris, Lamine Chikhi em Argel)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below