September 29, 2014 / 8:44 PM / 4 years ago

Tribunal espanhol suspende votação sobre independência da Catalunha

MADRI (Reuters) - A Corte Constitucional da Espanha suspendeu nesta segunda-feira um referendo sobre a independência convocado pela Catalunha para novembro, embora as ricas forças políticas da região sigam em frente com uma campanha política pela votação.

Presidente regional da Catalunha, Artur Mas, fala antes de apresentar o "Livro Branco" no Palau de la Generalitat (Palácio do Governo), em Barcelona. 29/9/2014 REUTERS/Gustau Nacarino

O governo central da Espanha pediu mais cedo nesta segunda ao tribunal que declarasse ilegal um referendo convocado pelo líder da Catalunha, Artur Mas, para 9 de novembro sobre a separação da região do restante da Espanha.

Embora possa levar anos para a Corte Constitucional se pronunciar sobre a questão, a votação foi efetivamente suspensa por decisão do tribunal ao aceitar o caso. Uma porta-voz do tribunal disse que 12 juízes tinham chegado a uma decisão após reunião de emergência de uma hora.

A Catalunha, que representa cerca de um quinto da economia da Espanha, tem a sua própria língua e cultura distinta, e há muito tempo luta por maior autonomia.

Mas o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse nesta segunda-feira que nenhum grupo de espanhóis poderia tomar decisão sobre a soberania que afeta todo o país. Ele lamentou a decisão do presidente regional da Catalunha de convocar a votação.

“Eu lamento isso porque é contra a lei, está além do direito democrático, divide catalães, os distancia da Europa e do restante da Espanha e afeta seriamente seu bem-estar”, afirmou Rajoy em coletiva de imprensa após uma reunião de gabinete.

“Sem contar a frustração que causa a uma grande parte do povo catalão, incentivando-os a participar de uma iniciativa que, por ser ilegal, não verá a luz do dia.”

Artur Mas, o líder da Catalunha, assinou um decreto no sábado sobre uma votação que pede a separação da Espanha, colocando o governo local em rota de colisão com Madri.

A grande maioria dos catalães quer realizar um referendo, mostram as pesquisas.

Analistas políticos preveem que Mas convoque eleições locais antecipadas após a suspensão da votação, mas ele não deu nenhum sinal de ceder às pressões.

Enquanto a Corte Constitucional estava reunida em Madri, Mas apresentou um “livro branco”, em Barcelona, ​​um documento que detalha os passos que a Catalunha teria que tomar em caso de independência.

O documento contém 18 capítulos que abordam questões como a defesa, a segurança social, as relações comerciais e a viabilidade financeira de um Estado catalão independente, além da integração junto à União Europeia e à comunidade internacional.

Partidos políticos locais, incluindo o Esquerra Republicana de Catalunya, que apoia o governo de minoria de Mas no Parlamento regional, também lançou a sua campanha política nesta segunda-feira.

“Nós queremos ser livres, queremos um novo país”, dizia seu slogan em vermelho e amarelo, as duas cores da bandeira catalã.

Reportagem adicional de Paul Day e Sarah Morris

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below