October 25, 2014 / 12:07 PM / 4 years ago

Polícia dos EUA investiga possíveis motivos para massacre em escola

25 Out (Reuters) - Autoridades ainda tentam descobrir neste sábado os motivos pelos quais um estudante de ensino médio no Estado de Washington, nos Estados Unidos, matou a tiros uma colega de classe e feriu outras quarto pessoas no refeitório do colégio, antes de se suicidar.    O atirador, que foi condecorado príncipe de um baile na Marysville-Pilchuck High School, ao norte de Seattle, tirou a sua própria vida depois que os colegas fugiram do refeitório.    O incidente foi o mais recente de uma série de massacres em escolas norte-americanas, que se tornaram um dos assuntos centrais sobre o controle de armas no país.    Uma autoridade do distrito que pediu para não ser identificada disse que o atirador era Jaylen Fryberg, um aluno do primeiro ano descrito por colegas e pelos pais como um popular membro das equipes de lutas e futebol americano.    “Ele veio por trás e tinha uma arma em sua mão, e disparou cerca de oito balas. Eles eram amigos, então não foi simplesmente aleatório”, afirmou à CNN Jordan Luton, estudante no local.    “Então ele voltou, olhou para mim e para a minha namorada, deu tipo um sorriso, virou-se de novo e disparou mais vezes lá dentro”, afirmou Luton.    Todas as vítimas do massacre tinham menos de 18 anos e três estão em estado grave, com ferimentos a bala na cabeça, afirmou Joanne Roberts, chefe do Providence Regional Medical Center, em Everett. A quarta vítima não teve ferimentos graves.    Entre os feridos, há dois garotos e duas garotas, disseram autoridades do hospital. Os meninos são Andrew Fryberg, de 15 anos, atingido na cabeça, e Nate Hatch, de 14 anos, com ferimento no queixo. Ambos estavam na UTI do Harborview Medical Center, em Seattle, até a noite desta sexta-feira.    A imprensa local informou que ambos eram primos do atirador.    A polícia não confirmou a identidade do autor do massacre e ainda investiga possíveis motivos para o fato.    Mas uma autoridade escolar e várias testemunhas afirmaram que ele tinha se envolvido em uma briga com outro estudante. E um amigo de uma das vítimas disse que recentemente ele foi rejeitado por uma garota de sua classe.

Estudantes e familiares se confortam após tiroteio em colégio em Marysville, nos Estados Unidos, nesta sexta-feira. 24/10/2014 REUTERS/Jason Redmond

Por Eric M. Johnson e Victoria Cavaliere

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below