December 2, 2014 / 9:24 AM / 4 years ago

Militantes somalis do Al Shabaab matam 36 trabalhadores em pedreira no Quênia

KOROME, Quênia (Reuters) - Militantes somalis do grupo Al Shabaab mataram ao menos 36 trabalhadores não muçulmanos em uma pedreira no nordeste do Quênia nesta terça-feira, decapitando ao menos dois deles, na mesma área em que sequestraram um ônibus e mataram 28 passageiros há pouco mais de uma semana.

Soldado queniano monta guarda próximo a corpos encontrados numa mina alinhados no chão, em Korome, no Quênia. 2/12/2014. REUTERS/Stringer

Homens armados atacaram dezenas de trabalhadores enquanto dormiam em barracas no entorno da pedreira por volta de 1h da manhã (horário local), disse à Reuters um ancião do vilarejo de Korome, perto do local do ataque, nas proximidades com a fronteira somali.

“A milícia separou os muçulmanos, depois mandou os não muçulmanos deitaremn e atirou na cabeça deles à queima-roupa”, disse Hassan Duba.

Uma testemunha disse que a maioria das vítimas levou tiros na cabeça e ao menos duas foram decapitadas. Ela contou 36 corpos na pedreira, localizada a cerca de 15 quilômetros da cidade de Mandera.

O governo do Quênia confirmou que 36 pessoas foram mortas e citou sobreviventes dizendo que cerca de 20 agressores participaram do ataque. Uma pessoa morreu em outro ataque na cidade de Wajir, no norte, na noite de segunda-feira, de acordo com o governo.

O ataque a ônibus em 23 de novembro aconteceu nos arredores de Mandera. Nesse ataque, militantes mandaram os não muçulmanos descerem do veículo e atiraram, poupando os muçulmanos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below