July 16, 2015 / 1:40 PM / 3 years ago

CORREÇÃO-Cunha diz que PMDB deixar governo não é improvável, mas impeachment seria passo atrás para democracia

(Corrige título e 1º parágrafo para esclarecer que a declaração “não é uma hipótese improvável” se refere ao PMDB deixar o governo, e não ao impeachment de Dilma)

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em Brasília. 12/05/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta quinta-feira que o PMDB deixar o governo antes de 2018 “não é uma hipótese improvável”, mas um impeachment da presidente Dilma Rousseff seria um passo atrás para a democracia.

Cunha afirmou, em entrevista a jornalistas, que pediu análises jurídicas sobre pedido de impeachment protocolado na Câmara e espera ter uma posição nos próximos 30 dias.

O deputado afirmou ainda que seu partido já não “aguenta mais” a aliança com o PT, e que o discurso unificado do PMDB a favor de uma candidatura própria para a Presidência em 2018 foi um “recado” à sociedade.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below