August 7, 2015 / 11:42 AM / 3 years ago

Obama sofre revés no Congresso com oposição de democratas a acordo com Irã

WASHINGTON (Reuters) - A esperança do presidente norte-americano, Barack Obama, de preservar o acordo nuclear entre o Irã e as potências mundiais sofreu um revés na quinta-feira, quando Chuck Schumer, um dos principais democratas no Senado dos Estados Unidos, disse que cai se opor ao compromisso firmado.

Presidente norte-americano, Barack Obama, durante discurso na Casa Branca, em Washington. 06/08/2015 REUTERS/Jonathan Ernst

A decisão de Schumer, anunciada em uma longa declaração, pode abrir caminho para mais congressistas democratas se posicionarem contra o pacto nuclear anunciado em 1 de julho entre os EUA, outras cinco potências mundiais e o Irã.

O senador de Nova York está entre os parlamentares judeus mais influentes nos Estados Unidos. Ele foi o primeiro democrata do Senado a anunciar sua oposição ao acordo.

Outro congressista influente da bancada judaica, o deputado Eliot Engel, o principal democrata no Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, também disse na quinta que iria opor-se ao acordo nuclear, em um comunicado obtido pela Reuters.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tem pressionado os legisladores a se oporem ao acordo nuclear, que ele considera uma ameaça à sobrevivência de seu país. Alguns grupos pró-Israel também estão gastando milhões de dólares em uma campanha publicitária para pressionar os membros do Congresso a votar “não”.

Obama tem se empenhado pessoalmente para defender o acordo, incluindo um discurso combativo na quarta-feira em que disse que o abandono do pacto nuclear abriria a perspectiva de uma guerra.

Em declarações à imprensa em uma visita à capital vietnamita, Hanói, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, que negociou o acordo pelos EUA, disse respeitar Schumer e Engel, mas acrescentou que “a rejeição não é uma política para o futuro.”

O Congresso dos EUA tem até o dia 17 de setembro para analisar uma resolução de desaprovação do acordo com o Irã. A rejeição do compromisso firmado impediria Obama de eliminar todas as sanções impostas ao Irã pelo Congresso dos EUA, um componente-chave do acordo.

Reportagem adicional de Richard Cowan em Washington e David Brunnstrom em Hanói

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below