21 de Setembro de 2015 / às 19:49 / 2 anos atrás

Derrubar veto a reajuste do Judiciário seria jogar "gasolina na fogueira", diz Cunha

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 12/05/2015. REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defendeu nesta segunda-feira a manutenção de veto da presidente Dilma Rousseff ao reajuste de servidores do judiciário, cuja votação está prevista para a terça-feira.

Em entrevista a jornalistas após encontro com o vice-presidente Michel Temer, Cunha afirmou que “não tem sentido” os parlamentares reciminarem o governo por propor o aumento da carga tributária e, ao mesmo tempo, criarem novas despesas enquanto o Executivo tenta reequilibrar suas contas.

“Eu acho que concretamente não deve se derrubar esse veto, seria uma atitude de colocar mais gasolina na fogueira, é acender fósforo no tanque de gasolina. Não sou partidário disso”, afirmou.

O Congresso Nacional deve analisar na terça-feira, em sessão conjunta, uma série de vetos presidenciais que podem impactar nas contas públicas se forem derrubados.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below