13 de Outubro de 2015 / às 17:58 / em 2 anos

Rebeldes da Síria fortificam linha de frente com mísseis antitanque

BEIRUTE (Reuters) - Insurgentes da Síria estão movimentando grande quantidade de mísseis antitanque fornecidos por apoiadores estrangeiros para se contrapor aos ataques terrestres do Exército sírio e seus aliados, que vem sendo auxiliados por ataques aéreos intensos da Rússia, disseram comandantes rebeldes nesta terça-feira.

Membros do grupo libanês Hezbollah seguram caixão de Hassan al-Haj, um dos comandantes do grupo que morreu lutando ao lado do Exército sírio na província de Idlib. 12/10/2015 REUTERS/Ali Hashisho

Contactados pela Reuters, dois deles não quiseram confirmar se receberam mísseis adicionais desde o início da ofensiva aérea russa, mas afirmaram que têm suprimentos “excelentes” e que estão posicionando as armas ao longo de um fronte de batalha de 30 quilômetros para deter a iniciativa terrestre rival.

Mas ativistas disseram que os suprimentos foram reforçados desde que os ataques aéreos de Moscou começaram em 30 de setembro. Com o apoio russo pelo ar e a ajuda do grupo libanês Hezbollah e de soldados iranianos, o Exército da Síria está tentando expulsar os insurgentes de áreas do oeste que são cruciais para a sobrevivência do presidente sírio, Bashar al-Assad, e recapturou uma série de cidades nas províncias de Hama e Latakia.

A campanha aérea de duas semanas da Rússia fortaleceu Assad e obrigou os Estados Unidos a reajustarem seu problemático programa de apoio militar aos adversários de Assad. Em solo sírio, entretanto, o Exército não está obtendo ganhos rápidos.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres que monitora a guerra, disse haver uma batalha em andamento pelo controle da cidade de Kafr Nabuda, em Hama, que o Exército afirma ter capturado na segunda-feira. Pelo menos 25 combatentes do governo morreram, relatou.

A cidade demarca a fronteira oeste da linha defensiva ao longo da qual os rebeldes posicionaram uma dúzia de plataformas de lançamento de mísseis anti-tanque, disse Ahmed al-Seoud, líder da 13ª Divisão, uma facção que tem apoio do exterior e combate sob o comando do Exército Livre da Síria.

“Eles são altamente eficientes. Estão acabando com os Exércitos russo-iraniano e sírio”, declarou. “A situação da oposição síria, em termos de munição e armas, é excelente”.

Países estrangeiros que se opõem a Assad forneceram mísseis teleguiados TOW a uma variedade de grupos rebeldes através de um espaço de operações na Turquia, uma das nações que querem a saída de Assad.

Os mísseis são amplamente vistos como uma ferramenta importante para o avanço insurgente que pressionou Assad no início deste ano.

Reportagem adicional de Laila Bassam e Sylvia Westall

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below