30 de Outubro de 2015 / às 09:30 / em 2 anos

China vai deixar províncias decidirem sobre implementação da política de 2 filhos

PEQUIM (Reuters) - Uma autoridade de planejamento familiar da China disse nesta sexta-feira que o governo central vai deixar as províncias decidirem sobre os detalhes da implementação da nova política que permite aos casais ter dois filhos.

Homem olhando criança em Pequim. 30/10/2015 REUTERS/Jason Lee

Cerca de 90 milhões de famílias podem ser qualificadas para a nova política de dois filhos, que ajudaria a aumentar a população a um número estimado em 1,45 bilhão até 2030, informou a Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar em nota. A China, nação mais populosa do mundo, tinha 1,37 bilhão de pessoas no fim do ano passado.

A nova política, anunciada na quinta-feira pelo Partido Comunista, representa um relaxamento na longa e controversa “política do filho único”. Pequim espera que a ação regule a idade da população, que está cada vez mais velha.

A China implementou por décadas a política de filho único, que levou a abortos forçados e infanticídios pelo país. Recentemente, no entanto, a política foi relaxada, e alguns casais já estavam autorizados a ter um segundo filho. Outros recebem a permissão somente se pagarem uma multa.

Apesar do relaxamento da política na quinta-feira, o governo irá continuar envolvido. Famílias que desejam ter um segundo filho ainda irão precisar de aprovação, embora eventualmente a comissão irá transferir as aprovações para um sistema de registros, informou o vice-diretor Wang Peian na nota.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below